Adotado no Evelyn's Place.com "As palavras não valem nada até lhes darmos o significado que nós queremos". Pra. Adriana

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Sorrir é um remédio!


“Um dia sem rir é um dia desperdiçado”. Charles Chaplin

O dicionário define - rir é: Contrair os músculos faciais em consequência de uma impressão de alegria. Kkkk é muito mais do que simples definição! É a manifestação de algo muito maior, não cabe numa definição de dicionário...

Existem pessoas que amamos estar ao lado delas. Sabe aquelas pessoas que nos fazem rir? Pois são essas mesmo! A sensação é de ganhar uma injeção de animo, são como remedinhos. E sabe por que isso acontece? Porque o riso é um bom remédio! O riso é um comportamento emocional inato e tem a função de expressão e comunicação. Ele é uma das nossas primeiras experiências de vida.  Ele dá início à interação com o mundo ao nosso redor, serve de mensagem que nós enviamos às outras pessoas comunicando disposição para ligar-se a elas, como também pacificação, aceitação e enfim, o riso promove efeitos positivos em nossos contatos sociais.

O riso aumenta a vontade de estar junto daqueles que o oferecem, é fato que o riso une as pessoas e melhora o humor. Rir um pouco ao em vez de franzir a testa para tudo, pode ser um ótimo remédio, e ele não está associado somente à sociabilidade, ele tem uma função importante na nossa qualidade de vida. Ele engloba benefícios fisiológicos, espirituais, e psicológicos. Pesquisas mostram a veracidade disso, o riso e humor reforça a imunidade, relaxa toda a musculatura. Quando uma pessoa termina de rir, ela experimenta um estado profundo de relaxamento. Ao rir, o seu corpo segrega uma enzima protetora no estômago, inibindo a formação de úlceras. Ele libera transmissores neuroquímicos chamados endorfinas, os quais reduzem então a sensibilidade à dor e promovem sensações prazerosas e de bem estar. É um antídoto contra o estresse e ansiedade, já que o ato de rir diminui o cortisol, um hormônio ligado ao sistema emocional, que serve para controlar inflamações e alergias, o que acaba por ser, ainda, um supressor da depressão.

Ahhhhh sabe o que quer dizer? Rir faz bem para o coraçãooooo! Pessoas felizes e otimistas têm risco menor de sofrer problemas cardíacos do que os que têm emoções negativas. Segundo o cardiologista Augusto Bozza, do Instituto Nacional de Cardiologia, as pessoas que veem a vida de forma positiva têm menos estresse e depressão. “Esta dupla é a grande inimiga do coração. Pessoas felizes, que têm sentimentos positivos, estão menos expostas a adrenalina e noradrenalina. Esses hormônios estão ligados ao estresse e são fundamentais para que a pessoa pense rápido e tome decisões em situações de perigo. Mas o estresse crônico faz com que eles fiquem presentes no organismo, causando hipertensão, arritmias e sobrecarregando o coração”, explica o cardiologista. Ahhhhhh que legal! rir não mata ninguém do coração!

Rir é um doce que não faz mal aos diabéticos! É um bom remédio para pacientes com diabetes, pesquisadores americanos da Universidade Loma Linda garantem que boas gargalhadas ajudam a afastar o risco de complicações cardiovasculares em diabéticos. Os pesquisadores acompanharam, por um ano, 20 pacientes com diabetes que também sofriam de hipertensão e tinham altas taxas de colesterol no sangue. Veja o que diz a pesquisa:

Todos usavam remédios para controlar esses problemas. Metade dos pacientes continuou com o tratamento padrão, tomando os medicamentos. A outra metade, além da medicação, também assistiram diariamente a vídeos de humor, selecionados por eles mesmos, durante 30 minutos. O grupo estimulado a gargalhar tinha menores taxas de hormônios relacionados ao estresse, como a adrenalina. Nesses pacientes os níveis de HDL, o bom colesterol, cresceram 26%. Já no outro grupo, o aumento foi de 3%. E a proteína C-reativa, um marcador da inflamação e do risco de problemas cardiovasculares, despencou 66% entre os que riram mais. A queda dessa substância no grupo controle foi de 26%. Estudos anteriores conduzidos pelo mesmo grupo já tinham constatado que a mera antecipação de um sorriso é capaz de aumentar em 27% os níveis das betaendorfinas, hormônios relacionados ao bem-estar, e em 87% as taxas do hormônio do crescimento, envolvido na resposta imune.

Como já vimos o riso inicia uma cadeia de reações fisiológicas e ainda funciona como uma força motivadora, que muda a perspectiva da vida, aumentando a crença em mudanças positivas, e gerando bem-estar psicológico.

Para terminar... Eu digo ainda que faz bem ao rosto. Isso mesmo! Sorrir faz bem à saúde emocional e espiritual. Não existe melhor cosmético pra beleza do que a felicidade! Sorrir não causa marcas de expressão (Pelo contrário, é como uma ginástica facial que enrijece a musculatura da face e exercita os músculos dos ombros e do abdômen). Há princípios de psicossomática na Bíblia. Um deles relaciona bom humor com a beleza do rosto: “O coração alegre aformoseia o rosto, mas pela dor do coração o espírito se abate” Provérbios 15.13. O coração alegre transmite uma energia que descansa e que atrai. Mais do que rostos bonitos, corações alegres produzem rostos formosos. Em um próximo post discorro melhor sobre esse verso, afinal compensa.

Um remédio barato? ...Fortalece o sistema imunológico, melhora o tônus muscular da face, previne a formação de rugas, favorece a saúde mental, relaxa e dá prazer. Não é droga ou produto estético. É o sorrisoooo! Aí está um remédio bom e de custo zero, pena que não dá para colocar em frascos... Eu daria a um monte de gente! kkkk

Redefinindo – Rir: remédio natural contra as mazelas do corpo e da vida!

Quem ri mais, dura mais!

Graça e Paz e muitos risos!

Pastora Adriana Reis



quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Fazer o bem é intrínseco em nós!


“alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira”. 
Leon Tolstoi

Compartilhando - Hoje conversando com uma amiga ouvi algo muito gostoso de ouvir, ela me disse: “não quero sentir essas coisas”, estava falando de sentimentos que são ruins e dos quais não quer sentir. Eu pude ver não só com essa frase, mas com tudo que já tenho visto nela, o quanto há bondade em seu coração e o quanto é natural isso! Vejo coisas do tipo sempre na clínica, na igreja e na vida. E refletindo durante o dia sobre esse natural do humano, conclui que:

Eu sempre acredito que tem um jeito melhor de se tratar alguém, seja quem for ou em qualquer circunstância. Somos programados por Deus a sermos bons, mesmo que aja falha técnica em nós, por nossa parte ou outra qualquer, ainda sim somos programados para o bem. Deus nos programou a fazer o que é bom, por isso nos conclama a fazer o bem, “porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas” Efésios 2:10. Por isso devemos ajudar e tratar com amor todas as pessoas, independente se aos nossos olhos elas merecem ou não. Se alguém nos faz algum mal ou age injustamente, não devemos retribuir na mesma moeda, mas sim exercitar o amor e mostrar que somos realmente de Deus, pois Ele nos ama e cuida de cada um de nós, mesmo sendo nós pecadores.

Quero esclarecer meu pensamento nesse texto sobre sermos pecadores. Não falo de uma natureza má e pecaminosa, já que não acredito que o ser humano tenha uma natureza má, pra mim não é a natureza que determina sobre eu ser santo ou ser pecador e sim as minhas escolhas. Acredito que somos corrompidos, há uma falha no sistema, no sistema chamado “eu”, mas ainda sim com uma natureza boa! Acredito que fomos feitos para a bondade, que fomos programados pra o bem. Temos a capacidade de pecar porque nossa vontade é livre, mas nossa natureza é boa, sim boa, parecida com a de Deus, afinal Ele nos fez imagem e semelhança Sua (Gêneses 1:26). Fomos nós que escolhemos falhar, escolhemos sermos maldosos, escolhemos o pecado. Nossa natureza não escolhe falhar, ela é programada para o bem, nós somos quem falhamos! A maldade e o pecado estão no sistema “eu” por escolha e não na natureza.

Da mesma forma que Cristo nos amou, mesmo sem merecermos por causa dessa falha, devemos amar e fazer o bem e ter misericórdia das pessoas e até de quem nos faz mal, pois deve ser natural isso em nós. E é! O bem precisa sempre vencer o mal, pois o que é bom faz parte de nossa natureza e o mal faz parte de nossas atitudes escolhidas! Não podemos nenhum de nós, aceitar o desejo de vingança, nem raiva, mas sim sermos o que Deus nos fez pra ser, e nos enchermos Dele e de seu grande amor.

Se formos prejudicados por alguém ou se as circunstancias da vida nos fizerem mal, sejamos bons assim mesmo! Se formos pessoas amorosas, justas e se fizermos o que foi programado para fazermos pelo Senhor, fazermos o que o Senhor nos manda, o que está na cartilha de instruções, a bíblia, Ele nos recompensará! Em 1 Pedro 3:14 a palavras de Deus nos diz que se padecermos por amor da justiça, seremos bem aventurados e ainda diz pra não termos medo dos que nos causam o mal e pra não turbarmos nossos corações. Fica claro então, não vamos ter medo de fazer o bem, pois agindo nós assim os olhos do Senhor estarão sobre nós!

A Bíblia nos fala muito sobre fazer o bem, as ações do Bom Samaritano, por exemplo, abrangem o altruísmo, que significa, basicamente, ajudar os outros voluntariamente sem esperar qualquer recompensa. Em Gálatas 6:9 nos diz que: “não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos”. Eu acredito que dar aos outros também é um presente para si mesmo. No Oriente, ensinava Buda que “a generosidade traz abundância, purifica o coração e a mente e proporciona a maior felicidade”. Hoje, as pesquisas estão comprovando que ajudar aos outros faz bem à saúde física e psicológica. Fazer o bem está associado à ativação de áreas cerebrais relacionadas aos sentimentos bons e de apego, além de desencadear atividades nas áreas de prazer. Pesquisas realizadas pela neurociência revelam que pessoas com atitudes boas são mais felizes. O prazer está ligado ao altruísmo e também ao desprendimento das coisas, sendo diferente, por exemplo, do prazer desencadeado por outros estímulos como as drogas e chocolates. Já nas atitudes negativas, o mal é reconhecido pelo cérebro quando estimula circuitos cerebrais relacionados ao medo e ansiedade. Futuramente segundo estudos, através do mapeamento cerebral, serão possíveis as descobertas e prevenções de doenças psicossomáticas. Mas enquanto eles não chegam lá... Podemos usufruir do benéfico de ser bom, tentando corrigir as atitudes falhas e más, o “eu”, o sistema falho, e a partir daí buscando praticar o bem que fomos programados a fazer, tais como a benevolência, tolerância, companheirismo, altruísmo, empatia, caridade e acima de tudo o amor.

Façamos como ensina o Apóstolo Paulo, “Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mal com o bem” Romano 12:21. Fazer o mal nós prejudica e sentimos isso. O 16° presidente dos Estados Unidos, Abraham Lincoln, citou uma vez assim sobre ele: “quando pratico o bem, sinto-me bem, quando pratico o mal, sinto-me mal”, e eu acredito nisso, porque o mal só pode acarretar o mal, como bem disse o poeta inglês William Shakespeare, “o mal que os homens praticam sobrevive a eles; o bem quase sempre é sepultado com eles”. O mal é certamente uma treva que aprisiona que afoga e destrói, é como Sêneca, o filósofo, dizia, que “a maldade bebe a maior parte do veneno que produz”. Então devemos considerar e muito que diz Tiago: “quem sabe que deve fazer o bem e não o faz comete pecado” (Tiago 4:17), já que o pecado só causa mal.

Somos feitos para o bem, é algo intrínseco em nós. O bem pode e deve aniquilar todo mal, é natural que assim seja!

E não se esqueçam: Fazer o bem faz bem!

Graça e Paz, amo vocês!

Pastora Adriana Reis.

“não vos canseis de fazer o bem”. 
2 Tessalonicenses 3:13

“O homem que vê mal vê sempre menos do que aquilo que há para ver; o homem que ouve mal ouve sempre algo mais do que aquilo que há para ouvir”. 
Friedrich Nietzsche


quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Todo dia é Natal!




Segundo o calendário cristão o Natal é a maior festa celebrada, o dia é comemorado em todo o mundo!  Uma das mais coloridas celebrações! Pelas ruas da nossa cidade, a decoração remete às festas de fim de ano, ficam lindas, enfeitadas com temas de Natal e iluminadas. Como toda festa religiosa, o Natal é rico em símbolos, cada um deles tem sua origem e significados, mas não falarei deles por hora.
É realmente uma das épocas do ano mais ornamentadas. Isso tudo cria um clima festivo despertando diversas emoções nas pessoas como também atos mais fraternos e a caridade.
Comemoramos o Natal no dia 25 de dezembro, dia esse, anteriormente de festivais pagãos, historicamente não se tem certeza a respeito da data do nascimento de Jesus e a Bíblia não revela a data do nascimento de Cristo, nem mesmo o número de magos que o visitaram e muitas outras coisas. O que a Bíblia diz sobre o Natal? Hummmm... Nada. O Natal não é mencionado nenhuma vez nas Escrituras. Não consta na Bíblia Sagrada, porém é um dia em que os homens escolheram para celebrar o nascimento de Cristo.
Que possamos despertar o real sentido de tal festividade, para que não nos tornemos mais um, mas que sejamos a diferença.
No Evangelho de Mateus capítulo 1 verso 21 afirma: “Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles.” E o profeta Isaias declarou "Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o principado está sobre os seus ombros, e o seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz” Isaías 9:6.
As modernas comemorações do Natal nada têm a ver com os fatos da Bíblia, conta a Bíblia que um anjo anunciou para Maria que ela daria a luz a Jesus, o Filho de Deus. Na véspera do nascimento, o casal viajou de Nazaré para Belém, chegando à noite do nascimento do bebê. Como não encontraram lugar para dormir, eles tiveram de ficar no estábulo de uma estalagem. E ali mesmo, entre bois e cabras, Jesus nasceu sendo enrolado com panos e deitado em uma manjedoura. Sabemos que Jesus veio a terra, Ele nasceu de uma forma simples e humildade. Durante a Sua jornada Jesus fez muitos milagres, sinais, prodígios e maravilhas. Morreu em uma cruz para que os nossos pecados fossem perdoados a fim de podermos obter a Salvação Eterna, e após o terceiro dia Ele ressuscitou, vencendo a morte.
O nascimento de Cristo é um fato histórico aceito por todos os homens, mas não são todos que acreditam na Sua ressurreição. Muitos comemoram o nascimento de Cristo nesse dia, mas somente os cristãos comemoram a sua ressurreição. Não devemos jamais nos esquecer de que como cristãos nós somos ordenados a comemorar a morte de Cristo, sua ressurreição e sua vinda. 1 Coríntios 11:25 e 26
O Natal passou a ser um dia de comercialização, de consumo. Muitos comemoram o Natal sem ao menos saber o real significado, outros mostram uma superficial religião, onde se lembram de Cristo somente nessa data, esquecendo-o durante o resto do ano.
Pra mim em particular vale a pena comemorar o Natal, porque trago na minha memoria um menino que nasceu e mudou a história do mundo e pessoalmente minha historia! Pra mim vale comemorar essa data, não uma vez no ano, mas em todos os dias. Devemos nos lembrar de Jesus todos os dias e não somente no natal. Lembrar-nos de seus feitos e de tamanha grandiosidade e amor por nós! De sua morte e ressurreição! Devemos reviver o milagre da vida do homem extraordinário, Jesus Cristo, dia a dia. E esse é o real sentido do Natal!
Do Jeito que o mundo está até o bom velhinho deve ter esquecido o verdadeiro sentido do natal... kkk, que nós sejamos a diferença em meio a tantos e não esqueçamos do verdadeiro sentido, não esqueçamos do nosso verdadeiro Jesus ressurreto!
Desejo a todos que o consumo de vocês seja da verdadeira PAZ e que dia a dia, tenham um Feliz natal.
Graça, Paz e muitas festas.
Pra. Adriana Costa reis

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Maturidade


"A maturidade me permite olhar com menos ilusões,
aceitar com menos sofrimento,
entender com mais tranqüilidade, com mais doçura.
Às vezes é preciso recolher-se.”
Lya Luft

O que é maturidade? Como poderíamos defini-la?

Já conversei com algumas pessoas sobre maturidade e já ouvi também muitas outras sobre o assunto e muitos me perguntam sobre as diferenças de alguém maduro e alguém imaturo. Bem... Convivo com muitas pessoas e estou sempre com os olhos nelas e isso me faz com frequência pensar sobre a maturidade delas. Aí fico pensando minha gente... Como podemos denominar pessoas maduras ou referir que alguém possua maturidade, sendo que todos os seres humanos não estão totalmente desenvolvidos. É algo complexo! Mas de alguma forma eu meço e faço uma diferenciação entre a maturidade e a imaturidade. A pedidos de alguns aí esta o post!

O dicionário Aurélio define maduro como: Amadurecido, sazonado. Plenamente desenvolvido. Refletido, prudente. Que já não é moço. E os Dicionários WEB e informal, definem por maturidade: Ter consciência do que quer saber, definir, analisar, agir no momento certo. É o estado das pessoas ou das coisas que atingiram completo desenvolvimento.

A palavra maturidade é um substantivo abstrato, determiná-la torna-se um pouco difícil. É um conceito subjetivo que percebemos e sentimos quando estamos diante dela, porém difícil de definir em palavras e de descrever todas as características que fazem parte dela, sem que haja restrições, diferenças de opiniões, debates e polêmicas.
O homem ainda é um mistério para ele próprio e então, como estabelecer o que seria a sua maturidade?

Bem... Penso eu que quando tentamos descrever alguma coisa, definimos e comunicamos algo, às vezes generalizamos, às vezes omitimos detalhes ou até distorcemos as informações de acordo com os nossos filtros mentais. Tentarei aqui descrever alguém maduro através de meus próprios filtros mentais. Então vamos lá!

A maturidade faz parte de um processo cheio de etapas e esse processo pode ser vagaroso e demorado. Mas acredito que passar por todas as etapas não quer dizer necessariamente que alguém seja maduro. Se você terminou a faculdade, casou e teve filhos ou viveu duzentos anos não quer dizer que é necessariamente maduro.

A maturidade não é um sinônimo de idade avançada, tem muitas pessoas adultas por aí que estão longe de ser maduras! Digo com propriedade, pois conheço um montão assim, como também conheço pessoas ainda jovens que são muito mais possuidoras de maturidade do que muitos “cinquentões” ou “duzentões” por aí!

Existe um tempo necessário para nosso amadurecimento. Porem, nem sempre a maturidade emocional ou espiritual acompanha a maturidade física. A maturidade física ocorre por volta dos 21 anos. Contudo, a maturidade mental, emocional e espiritual não tem um tempo determinado teoricamente para acontecer. O tempo de maturação vai depender das experiências pessoais de cada pessoa, vai depender do aprendizado obtido ou não de cada uma das experiências vividas. Muitas pessoas não amadurecem, elas apenas envelhecem!

O ser humano necessita de condições adequadas para seu pleno desenvolvimento e amadurecimento. Infelizmente, algumas pessoas não têm ou não querem ou não sabem como obter e desenvolver os recursos de que precisa, seja educação, conhecimento ou experiência para seu pleno desenvolvimento e amadurecimento como ser humano.

Uma pesquisa britânica (Universidade Southampton, em Highfield) afirmou que, para muitas pessoas, a fase adulta (maturidade) não é definida pela passagem por eventos tradicionais, mas por uma mudança na personalidade e no comportamento.

De alguma forma a pessoa madura abandona as “coisas de menino”, porque a maturidade requer que deixemos as coisas infantis. A Bíblia diz em 1 Coríntios 13:11 que “Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.”

É à saída de uma personalidade infantil e egoísta para uma mais altruísta, acredito como o Padre Fabio de melo que “a maturidade acontece, quando tomamos posse do que nós somos, para aí então poder nos dividir com os outros. Isso faz parte do processo de maturidade.”

Pessoas maduras são como os frutos maduros que são saborosos. Hummmm... Essas pessoas deixam boas sensações na gente! Aqueles que provam de sua companhia sentem o gosto adocicado e saboroso de suas ações e atitudes sábias e maduras. A cada encontro com pessoas maduras aprendemos um pouco mais, e esses encontros se tornam agradáveis e desejáveis. O encontro com uma pessoa madura é delicioso e nos acrescenta!

Essas pessoas já deixaram de se preocupar com o próprio umbiguinho, têm uma visão de vida que extrapola sua preocupação centrada em si mesma. Seus interesses envolvem o bem estar das pessoas com o intuito de contribuição para melhorar o mundo em que vivem.

Já uma pessoa que não tem maturidade, é como um fruto verde, de difícil degustação. Não me refiro aos de pouca idade, e talvez com pouca experiência de vida, pois estão na sua normalidade, passando por uma etapa do processo da vida. Lembrando que a palavra imatura vem do verbo madurar que significa algo que não madurou ainda. Alguém com menos idade tem muito que viver e percorrer ate atingir a maturidade, mas assim mesmo alguns adquirem mais cedo, há pessoas que amadurecem cedo e outras que levam mais tempo, eu costumo dizer que a pessoa imatura é uma pessoa a meio caminho, assim alguém muito jovem que ainda se encontra com atitudes imaturas, infantis é compreensivo, pois têm mais tempo e caminho a percorrer. Contudo os “duzentões” que me refiro simbolicamente como fruto verde é que são de difícil degustação. Esses possuem pouco tempo e ainda o perdem andando em direção contraria a maturidade.

São infantis, egocêntricos e mais preocupados consigo mesmos, focados em si próprios, pouco preocupados com as pessoas que os rodeiam. Suas atitudes e comportamentos egoístas muitas vezes causam decepção, mal estar e um gosto amargo nas pessoas.

O imaturo é desigual, variável, irregular, os seus sentimentos movem-se e balançam como um pêndulo, de maneira que ninguém nunca sabe o que esperar dele. O seu estado de ânimo é como uma montanha russa cheia de oscilações. Vive em constante mudança temperamental.

Os imaturos encontram pretexto para tudo. São os retardatários crônicos, os contadores de vantagens, que falham no momento das crises. A vida dessas pessoas é um emaranhado de promessas não cumpridas, assuntos inacabados e amizades desfeitas.

Mas continuando ainda falando sobre o fruto maduro, eu diria que maturidade é um montão de coisas, tais como a serenidade, é enxergar claramente a realidade natural das coisas. É ter uma visão aberta e realista das coisas que realmente importam na vida. É também generosidade, é ser voltado para os outros, buscando oportunidades de servir e ajudar. É enxergar como é pequeno o argueiro no olho do outro por ter removido a trava que estava no seu.

É discernimento. É aquela percepção intuitiva das coisas do espírito e da alma que nem sempre os olhos naturais enxergam. É enxergar cada aspecto da vida e do mundo pelos olhos de Deus que a ambos criou. É liberdade. É encarar com tranquilidade as próprias limitações.

É sabedoria. É dobrar-se voluntariamente, não diante das circunstâncias, mas diante do Deus que está no controle das circunstâncias. É intimidade com Deus. É estar de tal modo identificado com a Sua vontade que nada importa mais do que vê-la cumprida. E para acrescentar gosto desse texto de autor desconhecido por mim que diz:

Maturidade é ter o poder de controlar a raiva e de resolver divergências sem violência nem destruição.
Maturidade é ter paciência e disposição para abrir mão de um prazer imediato, com vistas a uma vantagem a longo prazo.
Maturidade é ter perseverança, é empenhar-se a fundo num programa, a despeito da oposição e dos contratempos desalentadores.
Maturidade é ter abnegação, é atender às necessidades alheias.
Maturidade é ter a capacidade de enfrentar o desagradável e a decepção sem nos tornarmos amargos.
Maturidade é ter humildade. Uma pessoa madura consegue dizer:
"Perdoe-me." E, quando fica provado que estava com a razão, não sente a necessidade de se vangloriar: "Eu não disse?”
Maturidade significa credibilidade, integridade e cumprimento da palavra.

Então... É assim que eu faço a distinção entre uma pessoa madura e uma ainda imatura, eu procuro particularmente perceber características das quais falei para determinar a diferença.

Eu sei que não está ao meu alcance e nem de ninguém atingir uma medida exata para maturidade, mas pra mim ela significa: o progresso em afastar-se o homem da sua animalidade, marcado pelo egoísmo, e em levá-lo a uma interação social em que a paz e a felicidade tornam-se possíveis.

Enfim... Maturidade...
Exercê-la exige uma atitude consciente, apoiada no sincero desejo de transformação. Hoje ser melhor que ontem e amanhã melhor que hoje; ser sempre melhor a cada dia, portanto, a busca da maturidade é interminável, mas o que importa é que dia a dia se possa dar um passo rumo a esse objetivo.

“Uma pessoa imatura pensa que todas as suas escolhas geram ganhos. Uma pessoa madura sabe que todas as escolhas tem perdas.”
Augusto Cury

“A pessoa madura é aquela que é capaz em primeiro lugar, reconhecer sua própria imaturidade“.
(Autor desconhecido por mim)

Pensem nisso...
Graça e Paz e crescimento a todos vocês!
Pra. Adriana Reis

sábado, 1 de janeiro de 2011

Um velho ditado: “A esperança é a última que morre”

Será mesmo? Pensando em um 2011 melhor...


ESPERANÇA – Por Mário Quintana

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, menininha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

Esperança - Do Dicionário Aurélio: Ato de esperar o que se deseja. A expectativa, a espera, a fé, a confiança em conseguir o que deseja. Aquilo que se espera ou deseja.

O termo esperança transmite a ideia de aguardar longamente e de confiar (esperar com confiança) que resulta em uma expectativa de fé, em uma espera paciente. É longa porque nem sempre temos a resposta no momento em que desejaríamos. É confiar, pois, nem sempre tudo parece dar certo.

Na melhor das hipóteses, os dicionários descrevem a esperança como a expectativa otimista da realização daquilo que se almeja. No entanto, não são todos que tem uma visão tão positiva em relação à esperança. O filosofo Alemão, Nietzche, por exemplo, costumava dizer que a esperança é o derradeiro mal, que é o pior dos males, porque prolonga o tormento e o sofrimento.

Dentro do contexto mitológico a Esperança é um dos males da Humanidade, simboliza a eterna espera por algo que não virá. (Segundo a Wikipédia: Ora, tinha Epimeteu em seu poder uma caixa que outrora lhe haviam dado os deuses, que continha todos os males. Avisou a mulher que não a abrisse. Pandora não resistiu à curiosidade. Abriu-a e os males escaparam. Por mais depressa que providenciasse fechá-la, somente conservou um único bem, a esperança.)

Mas nos tempos modernos ela é tida como nobre sentimento, e precisamos trata-la assim. Porque a esperança seria como aquela carta fora do baralho, que você usa como grande trunfo ou aquela luz no fim do túnel, dependendo de sua visão de mundo, seja vendo a vida como um jogo, seja vendo-a como um longo e escuro túnel, é imprescindível ter esperança. Caso contrário, caros leitores, o que seria da vida se não tivéssemos esperança? Seria um caos total! Chegaríamos ao fim da vida.

Neste poema acima de Mário Quintana, pode-se tirar uma lição. A esperança não é a última que morre, pois ela não morre. Mesmo que a ciência e as estatísticas afirmem o contrário. Lá esta a esperança caindo de um prédio e totalmente ilesa na calçada!

Ter esperança é fundamental para viver. Ela é fonte de força para continuar a caminhada, é fonte de força para lutar. Nas palavras de Santo Agostinho, filósofo e escritor da antiguidade, "Enquanto houver vontade de lutar, haverá esperança de vencer.”

Entretanto, a esperança não deve ser uma alienação da realidade, não deve ser um ato de inação, de inércia, de desculpa para os fracos cruzarem os braços e esperarem para que algo aconteça. Textos Judaicos dizem que “é bom ter esperança, mas é ruim depender dela”.

Não seria uma espera tão somente, ela por si só não basta. É preciso mais junto a ela. É preciso ter atitude para alcançar aquilo que se espera. Caso ao contrario ela seria como um “urubu pintado de verde” como descreveu Mario Quintana em outro verso. É preciso junto a ela doses de determinismo, paciência e solidariedade, para não corrermos o risco de sermos mais um que fica “sentado com a boca cheia de dentes esperando a morte chegar” como diz a letra de uma música de Raul Seixas.

A esperança é uma qualidade da qual não devemos abrir mão, pois ela é uma determinação heróica da alma. Ela é o desespero superado. É a arte de ser feliz sem ainda ter alcançado a felicidade. Como escreveu Joseph Joubert, um escritor francês “A esperança é um empréstimo que se pede à felicidade”.

Bem... Mas quem mais descreveu com maior maestria o que é a esperança e com a inspiração de Deus foi o profeta Jeremias. No final do versículo de Jr 17.7 surge a pérola da definição, quando ele diz que “… esperança é o Senhor”. A genuína esperança é o próprio Senhor. Neste texto de Jeremias (Jr 17.5-8) o Senhor trabalha o conceito de confiança. A confiança é a demonstração de onde está a esperança. Nos versículos seguintes, o texto explica porque o ser humano erra tanto quando não coloca sua esperança no Senhor. Um escritor e poeta francês, chamado Victor Hugo disse que “a esperança seria a maior das forças humanas, se não existisse o desespero”. Os versos 9 e 10 descrevem a condição desesperada do coração humano, desprovido de cura espiritual, que acaba por produzir engano e perversidade, minando a força humana.

Assim como a esperança e a fé podem realizar milagres, o desespero faz com que o homem cometa os maiores pecados. Pois quando alguém, em um momento de dificuldades, entra em desespero, torna-se extremamente vulnerável, tanto emocional quanto moral e espiritualmente.

As Escrituras separam duas situações relacionadas à esperança. Biblicamente, existem dois tipos de pessoas, as que não têm esperança no Senhor e as que têm (Ef 2.12). A verdadeira esperança está totalmente ligada ao que a pessoa Jesus Cristo representa na vida de cada homem e mulher.

Aqueles que não usufruem desta esperança são todos os que negam a existência de Deus, Seu poder, Sua ação na história e a Sua revelação através da Palavra (Sl 14.1; Rm 1.18-27). Além destes pontos, existe o fato destas pessoas não confiarem suas vidas a Jesus. As pessoas que são inimigas da esperança, como Nietzche, não concebem que possa existir alguém com a capacidade de senhorio que Jesus tem. Estas pessoas são incapazes de ver a vida em sua plenitude, por não crerem que Jesus é o filho de Deus (Jo 3. 16 e 36). Tais pessoas estão condenadas a uma vida de sofrimento e angústia. Santo Agostinho disse que “a boa consciência conduz à esperança. A má consciência, ao desespero”.

O segundo grupo de pessoas, os que têm esperança em Jesus, é formado por todos aqueles que acreditam com veemência no poder de salvação de Cristo. Não colocam sua fé somente no cuidado de Jesus para esta vida, mas principalmente para a eternidade. Os que têm a verdadeira esperança conservam o seu foco na vida eterna (Tt 1.2; 1Pe 1.4) e na consolação que ela traz (1Ts 4.13).

Devemos entender que a própria esperança é o Senhor. Somente através Dele é que podemos alcançar garantias para o futuro. Como diz o texto de Jeremias, “Bendito o homem que confia no Senhor e cuja esperança é o Senhor. Porque ele é como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e, no ano de sequidão, não se perturba, nem deixa de dar fruto”.

Alguém um dia me disse que a esperança está muito ligada a dúvida e incerteza, porque se algo é certo, então não precisa de esperança. Não concordei! E ainda não concordo! Porque mesmo que certo ou incerto, só esperamos quando confiamos! Então para mim a esperança está muito ligada à confiança, a fé. Se você acredita, tem esperança, se tem esperança então acredita. E tenho a confirmação disso na Palavra.

A-CRE-DI-TAR, CON-FI-AR. Lembrem-se que “a fé é a certeza de coisas que se esperam e a convicção fatos que se não veem.” Hebreus 11.1

Então certo ou incerto, quando você tem esperança, nenhum problema é grande demais, nenhuma tarefa é árdua demais, nenhum sonho é impossível e nunca é tarde demais para realizar o seu sonho de ser feliz. A esperança tem tudo a ver com a possibilidade de realização dos nossos sonhos. Quem espera com fé e confiante em Deus, jamais se tornará escravo do desespero.

Quando nada na vida corre bem, quando não se tem uma única perspectiva positiva, ou seja, nenhuma esperança, o que fazer? Infelizmente é o fim! O suicídio tem sido uma das respostas. O suicida é em vezes, alguém desesperado que ao longo da vida se confrontou com uma larga maioria de situações desagradáveis e apenas um ou outro eventual momento de satisfação. Mas é mais do que isso, é alguém que olhando para o futuro não vê qualquer perspectiva de melhoria e não vê qualquer necessidade de existência.

Eu acredito que a morte começa no momento em que não temos mais esperanças. Por isso leitores e amados irmãos, jamais percam a esperança! Acreditar sempre é fundamental. Há um ditado que diz: “Quem acredita sempre alcança”. A esperança é o combustível para que as realizações aconteçam. Mas as pessoas não têm esperança na vida mais, não têm esperança em Deus mais, não têm esperança na vitória e sucesso, estão sem perspectivas. Mas em contra partida Deus não perdeu as esperanças em nós. Um poeta, romancista, músico e dramaturgo, chamado Tagore, escreveu que "Cada criança, ao nascer, traz-nos a mensagem de que Deus ainda não perdeu a esperança nos homens”.

Nossa esperança é o nosso compromisso com a felicidade. Quando plantamos esperança em nossos corações, uma vida mais feliz é o produto de nossa colheita. E essa felicidade gera novas sementes, para produzir ainda mais esperança.

Bem... Respondendo a questão. A esperança é última a morrer?

Já ouvi dizer que a esperança é a ultima que dorme, porque morrer ela não morre nunca, apenas adormece, e na primeira oportunidade, olha ela lá, acordadinha! Já ouvi dizer que enquanto há vida, há esperança. Já ouvi dizer que a esperança é a maior fonte de energia do ser, quando ela morre, nos morremos com ela. Já ouvi dizer que a esperança é a última que morre. Pois enquanto eu viver a esperança vive comigo.

Gosto particularmente disso tudo! Talvez daí, destas respostas, derive o ditado de que a esperança é a última que morre, simplesmente porque morre conosco.

Mas a resposta é muito mais óbvia! A esperança é a última que morre?

Não... Não!!! Ela não morre!!!

Eu não acredito nesse ditado, pois a minha esperança já morreu... E ressuscitou e hoje vive e reina para sempre, que é Cristo Jesus.

Graça e Paz e Esperança sempre!

Pastora Adriana Reis.


“Os miseráveis não têm outro Remédio a não ser a esperança.”
William Shakespeare

"A esperança é o sonho do homem acordado."
Aristóteles

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

O verdadeiro valor das pessoas


Recebi um recado de um amigo há alguns dias que me impulsionou a escrever este post, na maioria os comentários de vocês aqui e também recadinhos no Orkut me faz pensar e refletir me estimulando a escrever. Então vamos lá?

Bem... Vocês já pensaram no valor real das pessoas? Elas valem pelo o tem ou pelo o que são? O que elas valem para vocês?

Uma pessoa humana pode ter valor em razão de vários fatores. Pode valer pelo que possua de riqueza e bens materiais, ou mesmo beleza, força ou inteligência. Isso é verdade? Sim é! Mas não deveria, pois tais valores são efêmeros, mas tenho certeza que eles influenciam o modo como muitos veem as pessoas. Repito, não deveria, mas essa é a realidade.

Vejam bem caros leitores e amigos! Enganamo-nos a respeito das pessoas, muitas vezes, por julgar sua aparência física e posses, não dando uma chance de conhecê-las verdadeiramente.

Tudo no mundo capitalista é medido pelo valor de cada coisa, infelizmente muitos levam isso para as relações humanas tentando fazer uma leitura irreal do valor das pessoas, sem atentar para o que realmente importa. As pessoas não valem por causa de seus diplomas ou títulos, beleza ou grana. Charles Chaplin escreveu “Não se mede o valor de um homem pelas suas roupas ou pelos bens que possui, o verdadeiro valor do homem é o seu caráter, suas ideias e a nobreza dos seus ideais”.

Mas a verdade é que muitos dão mais importância a coisas do que a pessoas e isso é horrendo, pois pessoas são mais importantes do que coisas, vida é mais importante que coisas.

É pessoal, mas eu conheço muita gente que acha que uma pessoa vale o que ela tem! E vocês acham também que valemos somente que temos de bens e coisas? Você só é alguém se tiver um carrão do ano? Sem hipocrisia, vocês acham que nesse mundo a gente só vale o que tem? Hum?!

No mundo de hoje a estatística geral é que a gente vale o que tem! Que coisa heim?! Mas a verdade universal, é que você só vale o que você é. Aqui complica demais, porque tem gente que não é nada só tem coisas! É aquela velha historia de que tem gente que é tão pobre, tão pobre que tem só dinheiro!

Gente “Nunca ninguém enriqueceu com dinheiro” (Séneca). Mas por suas qualidades interiores! O que vocês são ninguém tira de vocês em nenhuma situação, o que vocês têm pode deixar de ter a qualquer instante e mesmo que não perca, não é isso que determina seu valor, sua riqueza.

Muitas pessoas não compreendem, mas infelizmente só são consideradas pelo o que elas têm e não pelo que realmente são. Muitas pessoas gostam de ter como amigas ou por perto pessoas bonitas ou que possuam bens matérias ou que sejam visadas pela sociedade ou tenham status ou que destaquem de alguma forma. Se vocês têm pessoas, chamadas amigas que valorizam vocês por essas coisas, digo: Que meleca de amigos! Isso para não falar outra coisa. Assim a amizade é como se fosse uma moeda de troca! Cuidado gente senão vocês continuarão a ser moedinha de ouro para que gostem de vocês!

É muito fácil no mundo de hoje que pessoas se apaixonem por coisas, há uma supervalorização de coisas e com isso passam por cima daquilo que mais importa na vida. Pessoas. Coisas são os objetos de desejo de muitos indivíduos, e esses objetos estão acima das pessoas. Acima dos verdadeiros valores da vida.

Gente de Deus! Coisas são para serem usadas e pessoas não! O mundo de hoje é materialista porque falta o altruísmo. Em outras palavras o excesso de egoísmo consome as pessoas, os relacionamentos humanos são substituídos por relações entre coisas e pessoas. Objetos e viventes. Que coisa triste!

As relações humanas sempre existirão, mas o individuo está perdendo seu valor real e as relações estão cada vez menos sem significado, estão a serviço do individuo em sua busca pessoal de se realizar. Quanto mais esse fenômeno ocorre e se expande, mais as coisas se valorizam sobre a vida. Teremos menos paz, mais divisões, mais disparidades, mais estresse, mais pressa, mais capitalismo, menos solidariedade, menos felicidade e coisas desse tipo.

Eu vi duas pessoas conversando e uma contava para a outra que quando era criança gostava de matar passarinhos com estilingue. Então a outra disse que não atirava em passarinhos, gostava de atirar em vidros e telhas. Imediatamente e reativamente a primeira pessoa disse: “Você não atira em passarinho, mas atira nas coisas dos outros?” logo o outro disse que não eram vidraças ou janelas de vizinhos, mas vidros velhos que possuía e guardava só para essa atividade.

Sabem o que eu notei? Um deles colocou janelas acima da vida dos passarinhos? Talvez vocês nem tenham percebido isso. Poxa vida! Quer dizer que vidros de janelas têm mais valor do que um animal, que vive e sente? Da mesma maneira acontece em nossas relações, coisas são muito mais valorosas do que as pessoas. Que coisa! Será que aquele passarinho não valia mais que um pedaço de vidro que custa menos de dez reais? E a vida de alguém não é mais valiosa do que coisas?

Se ainda não ficou claro, lá vai: Na vida o que há de mais importante não são coisas, mas relacionamentos, pessoas.

Tem uma frase de Bob Marley, cantor, guitarrista e compositor jamaicano, o mais conhecido músico de reggae de todos os tempos que diz: “Se Deus criou as pessoas para amar, e as coisas para cuidar. Por que amamos as coisas e usamos as pessoas!” Vivemos numa época em que as pessoas têm pouco valor. A vida está relativizada, banalizada e mal avaliada.

A vida está avaliada por tão pouco que uma pessoa atira na outra por causa de um ponto de vendas de drogas, por causa de uma vaga de estacionamento. Gente de Deus! Vivemos em um tempo em que coisas são amadas e pessoas são usadas. Nós devemos usar coisas e amar pessoas, nunca o contrário. As pessoas infelizmente estão coisificadas e as coisas estão personalizadas.

Acredito que quanto mais humanos, mas gostamos de gente! E vejo que tem pessoas que gostam mais de coisas do que de gente, e isso me leva a crer que pessoas estão a cada dia que passa mais desumanas, como também mais coisificadas.

Temos que valorizar o que a pessoa é, o seu caráter, sua essência! Precisamos cultivar ao nosso redor quem valoriza o ser em vez do ter, e da mesma forma precisamos valorizar o ser, não se importando com a parcela do mundo que valoriza o ter.

Segundo o Escritor, cientista e filósofo alemão, Johann Goethe “A alegria não está nas coisas, está em nós” e ainda diz que “Quem tem bastante no seu interior, pouco precisa de fora”.

As pessoas se apegam tanto às coisas materiais que acabam esquecendo que na verdade não precisam de nada disso para ser feliz. Muitos de nós temos uma lista de coisas que queríamos ter, comprar, mas se reavaliarmos essa lista nós perceberemos que não precisamos de nenhum item dela para nos sentir completos, o que mais precisamos, em parte, já temos: Deus, família, bons amigos, amor e muita vontade de viver! Sócrates certa vez disse "Estou apenas observando tanta coisa existente que não preciso para ser feliz" É isso aí! Precisamos reavaliar nossos conceitos, nada de fora pode nos fazer felizes ou quem somos, mas o que está dentro sim!

Cabe bem aqui lembrar-nos de Deus que nos entregou Jesus (João 3.16), Jesus morreu por pessoas e não por coisas! Pessoas foram valorizadas por Ele, jovem e velho, rico e pobre, saudável e doente, homem e mulher, branco e negro e etc. Não era de interesse Dele o que essas pessoas possuíam, mas elas em essência! Por elas Ele pagou o preço, pagou por algo que realmente tem valor! Ele sempre viu alguma coisa nos outros que valesse a sua própria vida. Ele conhecia o valor que uma pessoa tinha para seu Pai.

Pensemos assim: Alguém que inventou um produto, ou seja, o dono de um produto é quem está apto para determinar o seu preço, o seu valor. Bem... Foi Deus quem criou vocês, Ele é o dono de vocês. Portanto, é Ele quem determina o quanto vocês valem. Sendo assim, nós valemos aquilo que Deus acha que valemos, pois, foi ele que nos criou e a ele pertencemos.

Quando Deus foi comprar de volta as nossas vidas ele não deu um objeto valioso em troca das nossas vidas, porque para Deus nós valemos mais do que um objeto valioso. Ele não deu terras em troca da nossa vida, porque para Deus nós valemos mais do que terras. Ele não deu o mundo inteiro em troca de nossas vidas, porque para Deus nós valemos mais do que o mundo inteiro, uma alma, uma única alma vale mais do que o mundo inteiro. Quando Deus foi comprar de volta a nossa vida, Ele entregou seu próprio filho, o seu único filho, porque para Deus nós temos o valor de um filho único.

A vida por mais incompreendida que seja é o que conhecemos de mais valioso. O que nos importa agora é repararmos o quanto somos únicos, e os outros que ao nosso lado vivem, e que estes importam mais do que as coisas que também nos rodeiam e gostamos.

Segundo o escritor irlandês Oscar Wilde “Hoje em dia conhecemos o preço de tudo e o valor de nada”. Amados meus valorizem o que realmente tem valor! Não acreditem nessa historia que as pessoas só valem o quem tem, valorizando de igual modo as coisas, porque isso mostrará quem vocês são de verdade, pois você é o que valoriza, outro escritor inglês, William Hazlitt disse “Aqueles para quem a roupa é a parte mais importante da pessoa acabam, geralmente, por valer tanto quanto a sua roupa”.

Qual o valor real das pessoas? Elas valem pelo o tem ou pelo o que são? O que elas valem para vocês?

Vocês valem muito mais do que as roupas que vestem ou um carrão do ano ou quaisquer bens. O que vocês valem? O preço, o valor, é de um filho único!

O importante é o ser e não o ter!

A vida não vale pelo que se tem.

A vida vale pelo que se é.

E vocês são filhos.

Graça e Paz.

Pra. Adriana Reis

“As pessoas valem o que vale a afeição da gente”

Machado de Assis

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

A menina e o mar

Dividindo uma experiência!

Li o livro-imagem de Suzy Lee, uma jovem escritora coreana, um livro sem palavras. Quando o li pela primeira vez, fiquei como o proprio livro... Sem palavras... Suzy teve a geniedade de criar algo com poucos traços a carvão, em azual, preto e branco, que nós leva em silêncio pensar, imaginar e sonhar...

Pude visualizar aquele primeiro encontro entre a menina e o mar! Que fantastico! Uma sensação inesplicavel de conforto, alegria, contentação e descoberta...

Aquelas imagens me levaram a beira mar para acompanhar as descobertas de uma criança curiosa e sedenta. Visualizei um medo assustador pela onda, mas também sua curiosidade e enfrentamento... Vi-me ali naquela praia observando o primeiro encontro da menina com o oceano. O desenhar na areia com expectativa de ser surpreendida com o toque do mar... Ela correndo para a beirada da praia e o mar chegando de mansinho. Vi a menina temendo o desconhecido e recuando, mas pondo-se a provocar o mar. À volta da criança, gaivotas acompanham-na em seu ritmo, e juntas enfrentam o mar, temem o mar e assustam-se com o amar... E então as vi juntamente com a onda dividindo os sustos e a admiração do encontro. Lindo, lindo, lindo...

Pássaro e criança, símbolos de liberdade, do desejo de voar, do desejo de encontrar o horizonte que se esconde bem lá atrás das ondas... Essas imagens levaram-me com liberdade, ao mais profundo silêncio e me possibilitou o encontro e conhecimento de um mar dentro de mim!

Tá aí um livro encantador que pode ser lido/pensado por diversas vezes. Embora seja um livro-imagem, a cada leitura tem-se uma descoberta nova de detalhes. Lindo! Inspirei-me no método, gostaria de uma geniedade dessas para escrever livros infantis.

Gente encontramo-nos através da leitura. Leiam!

Graça e Paz.

Pra. Adriana Costa Reis