Adotado no Evelyn's Place.com "As palavras não valem nada até lhes darmos o significado que nós queremos". Pra. Adriana

domingo, 8 de junho de 2014

Um dialogo salvífico!


Um homem nascido de família simples, numa cidade pequena chamada Judéia, há mais de mil anos, era um homem humilde, tinha uma aparência normal, sem muita formosura, morava em casa muito simples e trabalhava como carpinteiro, profissão comum da época. Esse homem não viveu muito, morreu jovem. Viveu apenas 33 anos e desses anos vividos sua maior influencia publica foram os ultimos três. Parece-nos um homem comum? Simmmmm nos parece, comum como eu e você e tantos outros. Mas Havia algo naquele homem que o tornou diferente de qualquer outra pessoa... Sim, diferentes de todos! Uma personalidade impar. Um homem perfeito! Você imagina alguém assim? Alguém perfeito? Você já conheceu alguém no seu percurso de vida que fosse perfeito? 

Acredito que não... Você como eu certamente conhece pessoas muito boas, com qualidades excelentes, mas não perfeitas. Pois é, aquele homem viveu seus 33 anos de vida de forma tão sublime que se tornou diferentes de todos nós, diferente de todos que já existiram. A forma como usou sua influencia publica, a forma como fez suas declarações o torna diferente de qualquer outra personalidade. Ele marcou a história da humanidade de forma tal que a mesma foi divida entre antes e depois  do seu nascimento. Descreve-lo aqui não caberia, uma edição da Enciclopédia Britânica usa mais de 20.000 palavras para descrever a pessoa Dele. Essa descrição ocupa mais espaço que a de pessoas como Aristóteles, Confúcio, Buda ou Maomé e outros.

Hoje desenhando com uma criança de cinco anos de idade, fui questionada varias vezes sobre esse homem. Ela copiava alguns desenhos e eu desenhava a figura desse homem, curiosa de quem seria, dispara com perguntas. E talvez você esteja se perguntando daí também: Mas quem foi esse homem? Que homem é esse que é tão perfeito assim, que marcou a humanidade? Ele era mesmo humano? Era deste planeta? Eu não conheço ninguém perfeito, não existe ninguém perfeito, todos nós somos falhos e erramos. Ele realmente existiu? Quem foi esse homem e qual seu nome?

Eu digo seguramente: Eu o conheço!

Talvez você pergunte indignado como a criança: O queeeeeee? Conhece? Ele num já morreu? Ele é o Super-homem? (não falei em morte, mas suponho que já tinha uma noção de quem seria)

Resposta - KKK... Sim... Eu o conheço! E Ele não é como eu ou como você, não há comparação! Ele era mesmo humano, não veio a este mundo através de um OVINIS, mas nasceu de uma Mulher, uma mulher terrena e comum, não era ela uma E.T., e nem ele. Não é o Super-homem, pois esse nem existe! Só existe nos filmes. Mas o homem do qual eu falo existe, Ele é real, forte e vive!

“Mas ele morreuuuuuu? Morreu morreu!” Pergunta e afirma a criança.

Resposta- KKK... É Ele morreu sim, morreu com a pior morte que já existiu, uma morte dolorosa e vagarosa, a chamada morte de cruz! Foi cravado no madeiro, por pregos que trespassaram seus pés e mãos (“E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até a morte, e morte de cruz!” Filipenses 2:8).

“Como ele se chamava?” Pergunta a criança.

Resposta – Jesus, o Cristo ("Portanto, o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel."  Isaías 7:14  - Emanuel, no hebraico: Deus conosco, é um nome profético que se referia à vinda do ungido (Cristo [Mateus 2.4], titulo derivado do grego, equivale a Messias, a ungido) de YHWH à Terra,  usado para se referir a Jesus, por Ele ter cumprido  profecias que anunciavam a vinda do Messias. "E dará à luz um filho e chamarás o seu nome Jesus, porque Ele salvará o Seu povo dos seus pecados" Mateus 1:21

E pergunta curiosa: É o Jesus da televisão? O Jesus da televisão é de verdade? Igual eu?

Resposta - Sim, de verdade! (mas não como ela, ou eu ou você – "...ninguém há como o SENHOR nosso Deus" Êxodo 8:10).

Pergunta indignada: “Ué era forte? Por que ele num bateu nos bandidos que furou ele?” ("E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem". Lucas 23:34).

Resposta - Porque Ele foi muito bonzinho, igual a um filhotinho de ovelha, não quis descontar e ficou caladinho e se deixou apanhar ("Foi levado como a ovelha para o matadouro; e, como está mudo o cordeiro diante do que o tosquia, Assim não abriu a sua boca". Atos 8:32).

Com sentimento de compaixão a criança fala: “Tadinho dele! Ah nem! Manda a policia prender o bandido que matou ele. Um homem matou um gatinho lá na rua de casa. Tem que prender!”... E pergunta olhando para o meu desenho: “porque fizeram isso?” ("16 E por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo, porque fazia estas coisas no sábado. 17 E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. 18 Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus. João 5.16-18).

Resposta - Porque o carpinteiro de Nazaré declarou ser o próprio Deus e isso deixou aquelas pessoas muito nervosas. (Suas declarações quanto a sua divindade foram agressivas aos seus ouvintes). Jesus falava: “Eu sou a luz do mundo” João 8.12, “Eu sou a porta” João 10.9, “Eu sou o bom pastor” João 10.11, “Eu sou a videira verdadeira” João 15:1, “Eu sou o Alfa e Ômega” Apocalipse 1:8, “Eu sou o Primeiro e o Último” Apocalipse 22.13.

“Isso tudo?” ("Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso". Apocalipse 1:8“Mas ele morreu? Morreu tá morrido!”  Pergunta e afirma novamente.

Resposta – Sim, kkk tudo isso! E Ele morreu, mas viveu outra vez! ("3 Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, 4 E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. 1 Coríntios 15:3 e 4) E foi voando lá pro céu! (ascendeu aos céus - "Ora, o Senhor, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu, e assentou-se à direita de Deus". Mc.16:19).

Rindo diz: “Ahhhh o super-homem que voa!”... “queria conhecer ele”... “me mostra ele?” (“4 Faze-me saber os teus caminhos, Senhor; ensina-me as tuas veredas. 5 Guia-me na tua verdade, e ensina-me, pois tu és o Deus da minha salvação; por ti estou esperando todo o dia” Salmos 25: 4 e 5).

Resposta – Já mostrei... (Genteee, Deus se revela a quem quer! "Naquela mesma hora se alegrou Jesus no Espírito Santo, e disse: escondeste estas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelaste às criancinhas; assim é, ó Pai, porque assim te aprouve". Lucas 10:21.

Eu disse a ela: Ele é meu amigo e eu o amo, e Ele me ama muito, muito, muito mais! ("Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos".  João 15:13. 

Eu quero ser amiga Dele! disse ela (“Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando”. João 15:14)

E respondi, clarooo: Então Ele será seu amigo!

Admirando o desenho ela diz: “Ele é lindo né?” (“E todos ficaram atônitos ante a grandeza de Deus” Lucas 9:43).

Resposta – Muito!

De todos os seres humanos que existem ou já pisaram neste planeta, nenhum, jamais se pode comparar com o Senhor Jesus Cristo. Ele foi excelente em tudo o que fez. Não existe e nunca existirá outro maior. Aristóteles, Sócrates, Alexandre, "O Grande", César, Napoleão, Sigmund Freud, Alebert Einstein, Bill Clinton, Gandhi e tantos outros grandes nomes da história não chegam nem perto da grandeza do homem chamado Jesus. Ele, sem dúvida foi o maior dos homens. Nenhum outro ser humano mudou tanto o mundo como Jesus. Nenhum outro ser humano conseguiu promover uma revolução tão grande durante mais de dois milênios. O mundo nunca mais foi o mesmo desde que este homem pisou aqui.

Jesus é incomparável! Outros podem parecer ou tentar imitar – MAS, NINGUÉM É COMO ELE.  

Verdadeiramente lindoooo!

Graça e Paz!

Pra. Adriana Costa F Reis.


terça-feira, 6 de maio de 2014

Buscando por uma resposta em Deus



"Há pensamentos que são orações. Há momentos nos quais, seja qual for a posição do corpo, a alma está de joelhos" Victor Hugo

Quantas coisas nós queremos respostas e não passamos nem perto de uma simples explicação. E nos abatemos! Mas não devemos ficar abatidos, pois se fossemos entender o TUDO de Deus, Deus não seria Deus! Não tem como mensurar Deus. O Senhor não é para ser entendido, Deus é para ser obedecido em amor. Obedecer não é fácil, mas é necessário para a nossa salvação. Deus é Justo e é Apaixonado por mim e por você. Por isso, Ele dá a cada um de nós, não o que merecemos, mas o que precisamos. Deus é Justo, não propriamente um entre muitos, mas o único que possui inerentemente toda a plenitude da justiça.

Nada acontece fora dos desígnios de Deus e se hoje não conseguimos entender o porquê e nem o para que, mais tarde, com certeza todos nós entenderemos no tempo oportuno.  Se o nosso hoje está repleto de perguntas sem respostas é porque assim deve ser, pelo menos por enquanto. Os caminhos e pensamentos de Deus não são como nossos pensamentos. Às vezes Ele não responde na maneira como queremos, e nunca saberemos a razão para isto até que cheguemos ao céu. Deus sabe melhor do que nós aquilo que precisamos, e quer que confiemos Nele, mesmo que não entendamos os seus propósitos. 

Isaías 55.8,9 diz: “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos”.

Algumas vezes parece como se Deus não estivesse respondendo a nossas orações por ele não agir tão prontamente como tínhamos esperado. Ou talvez ele esteja agindo, mas não o percebemos por impaciência nossa. Se nós não virmos alguma resposta imediata, não vamos pensar que Deus está adormecido. Habacuque, por exemplo, queixou-se a Deus porque não estava sendo ouvido e Deus lhe disse que Ele já estava fazendo alguma coisa da qual ele nem sabia. Deus lhe disse: "Porque a visão ainda está para cumprir-se no tempo determinado, mas se apressa para o fim e não falhará; se tardar espera-o, porque, certamente, virá, não tardará" Habacuque 1:2,5-6.

Você e eu, vivemos em um grande mistério, e o único que pode desvendar tudo isso, é o próprio Deus, se Ele quiser e quando quiser. Ele pode negar-nos algumas coisas durante algum tempo, para que oremos por elas. Ele quer dar uma resposta a nossas orações, mas uma resposta que só pode nascer se orarmos. Deus não está distante de mim e de você, quando clamamos em oração, saiba que Ele está perto, quer sintamos, quer não. Ele está sempre perto!

Vivemos numa sociedade onde tudo tem de acontecer instantaneamente. Muitas vezes somos como crianças que querem coisas imediatamente. Deus tem as suas razões quando Ele não nos concede os nossos pedidos no momento em que queremos. Ele se ofereceu para responder as nossas orações, nos pede para levar qualquer preocupação até Ele em oração, pois Ele agirá por nós de acordo com a Sua vontade e não de acordo com nossa vontade mimada. Enquanto lidamos com dificuldades, temos de lançar sobre Ele nossas aflições e receber dele a paz que desafia as circunstâncias. A base da nossa esperança e fé é a pessoa de Deus. Quanto mais o conhecermos, mais aptos estaremos a confiar nele.

Páginas e páginas poderiam ser preenchidas com as intenções de Deus para nós. E sinceramente, eu quero que as páginas que estão em branco de minha vida sejam preenchidas de todo e qualquer desejo de Deus pra mim.

“Esta é a confiança que temos ao nos aproximarmos de Deus: se pedirmos alguma coisa de acordo com a sua vontade, ele nos ouve.” 1 João 5:14.

Sobre o poder do Senhor para responder as nossas orações, não tenha dúvida que Ele pode agir em nosso favor. Mas não sabemos sempre como Ele escolherá responder. Não sabemos sempre qual é a vontade de Deus. Mas não importa... Que possamos servi-lo fielmente.

Graça e Paz!

Pra. Adriana Reis

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Medo - Sensação incapacitante que pode capacitar.


O medo é uma das sensações mais primitivas. Ele é psicofísico, isto é, nos causa sensações físicas além de alterações no estado emocional. O medo é visceral, não conseguimos controlar, apenas reagimos, fugindo ou paralisando. O medo por outro lado é também um sinal para que nos protejamos do perigo, ele salvaguarda nossa integridade física e mental. Como já visto aqui no blog em outro texto (Medos Infantis), o medo é uma sensação natural, é uma ferramenta fundamental e essencial, para evitar o perigo, uma de suas funções seria a preservação.

É uma sensação incapacitante, pois tal sensação nos impede de prosseguir em muitos aspectos. É um sentimento que tira as pessoas do eixo e interfere no equilíbrio psíquico. Quando pensamos no medo, logo uma pergunta vem à cabeça: medo de quê? Vários são os fatores que podem gerar o medo, essa sensação pode surgir devido a algo real e concreto, mas também pode ser algo totalmente fantasmático à própria mente.  O medo requer um objeto, um alvo, ou seja, tem-se medo de alguma coisa, de um ser vivo ou de uma situação que nos ameace fisicamente ou psiquicamente. Então, somente experimentamos esta emoção a partir de uma experiência com o objeto que nos causou medo. No entanto, em muitas ocasiões sentimos um medo de que não temos consciência, em que não conseguimos identificar claramente o que nos faz temer. Esse medo sem objeto trata-se também de outra emoção, a ansiedade.

Independentemente, a única forma de vencê-lo é enfrentá-lo. Aqui deixa de ter uma função de preservação para uma função de desafio até a superação. O medo que pode funcionar como algo que impulsiona. Enfrentar o medo pode representar uma ação de superação. O medo saudável, é fundamental, nos impede de cometer ações que poderiam causar consequências graves, sem medo se perde a noção do perigo e as situações de risco se aproximam, se ninguém tivesse medo seria um caos pessoal e social.

Reconhecer e temer os seus limites é importante. Essa sensação que te incapacita pode na verdade te capacitar, pode te impulsionar, pois você pode sentir desafiado a seguir e lutar. Quando encarado dá-se um sentimento de capacidade, superá-lo pode representar uma conquista. Mas não se deve esquecer que o medo é um sentimento de auto preservação e considerar limites e não desafiar o medo inconsequentemente evitará transtornos. É preciso conhecer o que causa o medo e os limites pessoais e a partir daí estudar a melhor maneira de não ser impedido de avançar.

Ele pode se tornar um obstáculo para o crescimento pessoal, porém, se aprendermos como usá-lo, ele se tornará um grande bem para nosso crescimento pessoal. Dominar o medo é sinal de amadurecimento. É a possibilidade de crescimento pessoal que tem ligação intrínseca com a autoconfiança. A fé em si mesmo.

Normalmente quando decidimos enfrentar o medo, percebemos que afinal não era assim tão assustador quanto parecia.

“Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar” William Shakespeare.

“Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio” 2 Timóteo 1:7.

Graça, Paz e muita coragem a todos vocês!

Pra. Adriana Costa F Reis


Leia também: Coragem, a habilidade de confrontar o medo.

http://adrianacostareis.blogspot.com.br/2011/01/coragem-habilidade-de-confrontar-o-medo.html


O que é ser jovem?

Ser jovem é ter energia pra para andar de skate, fazer trilhas com uma bike ou praticar esportes radicais, como pular de paraquedas, escalar montanhas altas como tantas outras coisas? Certamente não, mas, mais que isso!

O que é ser jovem hoje pode não ser mais amanhã, porque o tempo cada vez mais passa, e passa rápido e muitas mudanças acontecem principalmente no mundo da juventude, onde um dia é “irado” andar de skate ou pular de paraquedas, e no outro já seria “curtir um baseado” ou qualquer outra coisa do tipo. O jovem quer ser diferente! Quer ser “descolado”! E Cada vez mais essas diferenças tornam-se mutáveis, pois ser diferente é subjetivo, assim sendo, não existem padrões que sejam verdadeiramente únicos na concepção do ser jovem.

Se perguntarmos a eles o que é ser jovens, será quase certo que parte deles responderá com simploriedade, como por exemplo, o que eu falo acima.  “Ser descolado”, “praticar esportes irados”, “ser doidão” ou “prás cabeça”! (kkkk) A juventude é um tempo na vida humana onde existem sonhos, demandas, energia, curiosidades, estilos, culturas, línguas e desejos, como também sofrimentos, frustrações, rebeldia, impaciência, sentimento de onipotência (“eu posso tudo, eu faço o que quero, eu mando na minha vida”) e tudo muito acentuado. Cada vez mais os jovens vivenciam experiências de ser jovem diferente, das formas mais múltiplas possíveis, tanto nos traços do corpo como também nas expressões culturais, através das artes, da música, da dança, dos esportes e nos diversos espaços de ações relacionados com a vida cotidiana.

Na minha concepção, SER JOVEM SIGNIFICA VIVER PELO FUTURO! Pelo menos deveria ser. O passado determina o presente para tantos, tantos adultos que as heranças malditas os amargaram num presente que na linguagem de muitos seria: muito “páia véi”! Os jovens de hoje precisam safar dessa armadilha emocional e espiritual e crer verdadeiramente que ser jovem é lutar para que o futuro determine o presente! E esse futuro é ao lado do Rei dos reis, o nosso inigualável Deus poderoso.

A atitude de um jovem deve ser construída com consciência, sabedoria e conhecimento, e sobre essas coisas sabemos muito bem onde encontra-las.  Nos livros reunidos em um só, a Bíblia. “Como pode o jovem manter pura a sua conduta? Vivendo de acordo com a tua palavra” Salmos 119:9. Jovens direcionados por esses escritos sabem de seu papel na sociedade em que vivem, passam a pensar e construir um presente como mui maior um futuro melhor. Como tudo no jovem é acentuado, que o amor por Cristo e sua obra também sejam de igual força!

                Assim, não sejam vocês jovens da Santa Igreja do Senhor, amalgamados há um passado distante ou presente desvirtuado, escondidos por baixo de uma imensa agonia ou foragidos no “mundo fantástico de Bob”, mas ao contrário, o homem é um ser criador e ser jovem é criar um mundo futuro, um mundo onde todos sejam de Cristo. Sejam livres para lutar e parir um mundo novo, um mundo onde é regido pelo futuro glorioso ao lado do Pai.

“... jovens, sois fortes, e a palavra de Deus está em vós...” 1 João 2:14 parte C.

Amor, Graça, Paz e muita juventude a todos vocês!

Pastora Adriana Costa F Reis


sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Sorrir é um remédio!


“Um dia sem rir é um dia desperdiçado”. Charles Chaplin

O dicionário define - rir é: Contrair os músculos faciais em consequência de uma impressão de alegria. Kkkk é muito mais do que simples definição! É a manifestação de algo muito maior, não cabe numa definição de dicionário...

Existem pessoas que amamos estar ao lado delas. Sabe aquelas pessoas que nos fazem rir? Pois são essas mesmo! A sensação é de ganhar uma injeção de animo, são como remedinhos. E sabe por que isso acontece? Porque o riso é um bom remédio! O riso é um comportamento emocional inato e tem a função de expressão e comunicação. Ele é uma das nossas primeiras experiências de vida.  Ele dá início à interação com o mundo ao nosso redor, serve de mensagem que nós enviamos às outras pessoas comunicando disposição para ligar-se a elas, como também pacificação, aceitação e enfim, o riso promove efeitos positivos em nossos contatos sociais.

O riso aumenta a vontade de estar junto daqueles que o oferecem, é fato que o riso une as pessoas e melhora o humor. Rir um pouco ao em vez de franzir a testa para tudo, pode ser um ótimo remédio, e ele não está associado somente à sociabilidade, ele tem uma função importante na nossa qualidade de vida. Ele engloba benefícios fisiológicos, espirituais, e psicológicos. Pesquisas mostram a veracidade disso, o riso e humor reforça a imunidade, relaxa toda a musculatura. Quando uma pessoa termina de rir, ela experimenta um estado profundo de relaxamento. Ao rir, o seu corpo segrega uma enzima protetora no estômago, inibindo a formação de úlceras. Ele libera transmissores neuroquímicos chamados endorfinas, os quais reduzem então a sensibilidade à dor e promovem sensações prazerosas e de bem estar. É um antídoto contra o estresse e ansiedade, já que o ato de rir diminui o cortisol, um hormônio ligado ao sistema emocional, que serve para controlar inflamações e alergias, o que acaba por ser, ainda, um supressor da depressão.

Ahhhhh sabe o que quer dizer? Rir faz bem para o coraçãooooo! Pessoas felizes e otimistas têm risco menor de sofrer problemas cardíacos do que os que têm emoções negativas. Segundo o cardiologista Augusto Bozza, do Instituto Nacional de Cardiologia, as pessoas que veem a vida de forma positiva têm menos estresse e depressão. “Esta dupla é a grande inimiga do coração. Pessoas felizes, que têm sentimentos positivos, estão menos expostas a adrenalina e noradrenalina. Esses hormônios estão ligados ao estresse e são fundamentais para que a pessoa pense rápido e tome decisões em situações de perigo. Mas o estresse crônico faz com que eles fiquem presentes no organismo, causando hipertensão, arritmias e sobrecarregando o coração”, explica o cardiologista. Ahhhhhh que legal! rir não mata ninguém do coração!

Rir é um doce que não faz mal aos diabéticos! É um bom remédio para pacientes com diabetes, pesquisadores americanos da Universidade Loma Linda garantem que boas gargalhadas ajudam a afastar o risco de complicações cardiovasculares em diabéticos. Os pesquisadores acompanharam, por um ano, 20 pacientes com diabetes que também sofriam de hipertensão e tinham altas taxas de colesterol no sangue. Veja o que diz a pesquisa:

Todos usavam remédios para controlar esses problemas. Metade dos pacientes continuou com o tratamento padrão, tomando os medicamentos. A outra metade, além da medicação, também assistiram diariamente a vídeos de humor, selecionados por eles mesmos, durante 30 minutos. O grupo estimulado a gargalhar tinha menores taxas de hormônios relacionados ao estresse, como a adrenalina. Nesses pacientes os níveis de HDL, o bom colesterol, cresceram 26%. Já no outro grupo, o aumento foi de 3%. E a proteína C-reativa, um marcador da inflamação e do risco de problemas cardiovasculares, despencou 66% entre os que riram mais. A queda dessa substância no grupo controle foi de 26%. Estudos anteriores conduzidos pelo mesmo grupo já tinham constatado que a mera antecipação de um sorriso é capaz de aumentar em 27% os níveis das betaendorfinas, hormônios relacionados ao bem-estar, e em 87% as taxas do hormônio do crescimento, envolvido na resposta imune.

Como já vimos o riso inicia uma cadeia de reações fisiológicas e ainda funciona como uma força motivadora, que muda a perspectiva da vida, aumentando a crença em mudanças positivas, e gerando bem-estar psicológico.

Para terminar... Eu digo ainda que faz bem ao rosto. Isso mesmo! Sorrir faz bem à saúde emocional e espiritual. Não existe melhor cosmético pra beleza do que a felicidade! Sorrir não causa marcas de expressão (Pelo contrário, é como uma ginástica facial que enrijece a musculatura da face e exercita os músculos dos ombros e do abdômen). Há princípios de psicossomática na Bíblia. Um deles relaciona bom humor com a beleza do rosto: “O coração alegre aformoseia o rosto, mas pela dor do coração o espírito se abate” Provérbios 15.13. O coração alegre transmite uma energia que descansa e que atrai. Mais do que rostos bonitos, corações alegres produzem rostos formosos. Em um próximo post discorro melhor sobre esse verso, afinal compensa.

Um remédio barato? ...Fortalece o sistema imunológico, melhora o tônus muscular da face, previne a formação de rugas, favorece a saúde mental, relaxa e dá prazer. Não é droga ou produto estético. É o sorrisoooo! Aí está um remédio bom e de custo zero, pena que não dá para colocar em frascos... Eu daria a um monte de gente! kkkk

Redefinindo – Rir: remédio natural contra as mazelas do corpo e da vida!

Quem ri mais, dura mais!

Graça e Paz e muitos risos!

Pastora Adriana Reis



quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Fazer o bem é intrínseco em nós!


“alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira”. 
Leon Tolstoi

Compartilhando - Hoje conversando com uma amiga ouvi algo muito gostoso de ouvir, ela me disse: “não quero sentir essas coisas”, estava falando de sentimentos que são ruins e dos quais não quer sentir. Eu pude ver não só com essa frase, mas com tudo que já tenho visto nela, o quanto há bondade em seu coração e o quanto é natural isso! Vejo coisas do tipo sempre na clínica, na igreja e na vida. E refletindo durante o dia sobre esse natural do humano, conclui que:

Eu sempre acredito que tem um jeito melhor de se tratar alguém, seja quem for ou em qualquer circunstância. Somos programados por Deus a sermos bons, mesmo que aja falha técnica em nós, por nossa parte ou outra qualquer, ainda sim somos programados para o bem. Deus nos programou a fazer o que é bom, por isso nos conclama a fazer o bem, “porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas” Efésios 2:10. Por isso devemos ajudar e tratar com amor todas as pessoas, independente se aos nossos olhos elas merecem ou não. Se alguém nos faz algum mal ou age injustamente, não devemos retribuir na mesma moeda, mas sim exercitar o amor e mostrar que somos realmente de Deus, pois Ele nos ama e cuida de cada um de nós, mesmo sendo nós pecadores.

Quero esclarecer meu pensamento nesse texto sobre sermos pecadores. Não falo de uma natureza má e pecaminosa, já que não acredito que o ser humano tenha uma natureza má, pra mim não é a natureza que determina sobre eu ser santo ou ser pecador e sim as minhas escolhas. Acredito que somos corrompidos, há uma falha no sistema, no sistema chamado “eu”, mas ainda sim com uma natureza boa! Acredito que fomos feitos para a bondade, que fomos programados pra o bem. Temos a capacidade de pecar porque nossa vontade é livre, mas nossa natureza é boa, sim boa, parecida com a de Deus, afinal Ele nos fez imagem e semelhança Sua (Gêneses 1:26). Fomos nós que escolhemos falhar, escolhemos sermos maldosos, escolhemos o pecado. Nossa natureza não escolhe falhar, ela é programada para o bem, nós somos quem falhamos! A maldade e o pecado estão no sistema “eu” por escolha e não na natureza.

Da mesma forma que Cristo nos amou, mesmo sem merecermos por causa dessa falha, devemos amar e fazer o bem e ter misericórdia das pessoas e até de quem nos faz mal, pois deve ser natural isso em nós. E é! O bem precisa sempre vencer o mal, pois o que é bom faz parte de nossa natureza e o mal faz parte de nossas atitudes escolhidas! Não podemos nenhum de nós, aceitar o desejo de vingança, nem raiva, mas sim sermos o que Deus nos fez pra ser, e nos enchermos Dele e de seu grande amor.

Se formos prejudicados por alguém ou se as circunstancias da vida nos fizerem mal, sejamos bons assim mesmo! Se formos pessoas amorosas, justas e se fizermos o que foi programado para fazermos pelo Senhor, fazermos o que o Senhor nos manda, o que está na cartilha de instruções, a bíblia, Ele nos recompensará! Em 1 Pedro 3:14 a palavras de Deus nos diz que se padecermos por amor da justiça, seremos bem aventurados e ainda diz pra não termos medo dos que nos causam o mal e pra não turbarmos nossos corações. Fica claro então, não vamos ter medo de fazer o bem, pois agindo nós assim os olhos do Senhor estarão sobre nós!

A Bíblia nos fala muito sobre fazer o bem, as ações do Bom Samaritano, por exemplo, abrangem o altruísmo, que significa, basicamente, ajudar os outros voluntariamente sem esperar qualquer recompensa. Em Gálatas 6:9 nos diz que: “não nos cansemos de fazer o bem, pois no tempo próprio colheremos, se não desanimarmos”. Eu acredito que dar aos outros também é um presente para si mesmo. No Oriente, ensinava Buda que “a generosidade traz abundância, purifica o coração e a mente e proporciona a maior felicidade”. Hoje, as pesquisas estão comprovando que ajudar aos outros faz bem à saúde física e psicológica. Fazer o bem está associado à ativação de áreas cerebrais relacionadas aos sentimentos bons e de apego, além de desencadear atividades nas áreas de prazer. Pesquisas realizadas pela neurociência revelam que pessoas com atitudes boas são mais felizes. O prazer está ligado ao altruísmo e também ao desprendimento das coisas, sendo diferente, por exemplo, do prazer desencadeado por outros estímulos como as drogas e chocolates. Já nas atitudes negativas, o mal é reconhecido pelo cérebro quando estimula circuitos cerebrais relacionados ao medo e ansiedade. Futuramente segundo estudos, através do mapeamento cerebral, serão possíveis as descobertas e prevenções de doenças psicossomáticas. Mas enquanto eles não chegam lá... Podemos usufruir do benéfico de ser bom, tentando corrigir as atitudes falhas e más, o “eu”, o sistema falho, e a partir daí buscando praticar o bem que fomos programados a fazer, tais como a benevolência, tolerância, companheirismo, altruísmo, empatia, caridade e acima de tudo o amor.

Façamos como ensina o Apóstolo Paulo, “Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mal com o bem” Romano 12:21. Fazer o mal nós prejudica e sentimos isso. O 16° presidente dos Estados Unidos, Abraham Lincoln, citou uma vez assim sobre ele: “quando pratico o bem, sinto-me bem, quando pratico o mal, sinto-me mal”, e eu acredito nisso, porque o mal só pode acarretar o mal, como bem disse o poeta inglês William Shakespeare, “o mal que os homens praticam sobrevive a eles; o bem quase sempre é sepultado com eles”. O mal é certamente uma treva que aprisiona que afoga e destrói, é como Sêneca, o filósofo, dizia, que “a maldade bebe a maior parte do veneno que produz”. Então devemos considerar e muito que diz Tiago: “quem sabe que deve fazer o bem e não o faz comete pecado” (Tiago 4:17), já que o pecado só causa mal.

Somos feitos para o bem, é algo intrínseco em nós. O bem pode e deve aniquilar todo mal, é natural que assim seja!

E não se esqueçam: Fazer o bem faz bem!

Graça e Paz, amo vocês!

Pastora Adriana Reis.

“não vos canseis de fazer o bem”. 
2 Tessalonicenses 3:13

“O homem que vê mal vê sempre menos do que aquilo que há para ver; o homem que ouve mal ouve sempre algo mais do que aquilo que há para ouvir”. 
Friedrich Nietzsche


quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Todo dia é Natal!




Segundo o calendário cristão o Natal é a maior festa celebrada, o dia é comemorado em todo o mundo!  Uma das mais coloridas celebrações! Pelas ruas da nossa cidade, a decoração remete às festas de fim de ano, ficam lindas, enfeitadas com temas de Natal e iluminadas. Como toda festa religiosa, o Natal é rico em símbolos, cada um deles tem sua origem e significados, mas não falarei deles por hora.
É realmente uma das épocas do ano mais ornamentadas. Isso tudo cria um clima festivo despertando diversas emoções nas pessoas como também atos mais fraternos e a caridade.
Comemoramos o Natal no dia 25 de dezembro, dia esse, anteriormente de festivais pagãos, historicamente não se tem certeza a respeito da data do nascimento de Jesus e a Bíblia não revela a data do nascimento de Cristo, nem mesmo o número de magos que o visitaram e muitas outras coisas. O que a Bíblia diz sobre o Natal? Hummmm... Nada. O Natal não é mencionado nenhuma vez nas Escrituras. Não consta na Bíblia Sagrada, porém é um dia em que os homens escolheram para celebrar o nascimento de Cristo.
Que possamos despertar o real sentido de tal festividade, para que não nos tornemos mais um, mas que sejamos a diferença.
No Evangelho de Mateus capítulo 1 verso 21 afirma: “Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles.” E o profeta Isaias declarou "Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o principado está sobre os seus ombros, e o seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz” Isaías 9:6.
As modernas comemorações do Natal nada têm a ver com os fatos da Bíblia, conta a Bíblia que um anjo anunciou para Maria que ela daria a luz a Jesus, o Filho de Deus. Na véspera do nascimento, o casal viajou de Nazaré para Belém, chegando à noite do nascimento do bebê. Como não encontraram lugar para dormir, eles tiveram de ficar no estábulo de uma estalagem. E ali mesmo, entre bois e cabras, Jesus nasceu sendo enrolado com panos e deitado em uma manjedoura. Sabemos que Jesus veio a terra, Ele nasceu de uma forma simples e humildade. Durante a Sua jornada Jesus fez muitos milagres, sinais, prodígios e maravilhas. Morreu em uma cruz para que os nossos pecados fossem perdoados a fim de podermos obter a Salvação Eterna, e após o terceiro dia Ele ressuscitou, vencendo a morte.
O nascimento de Cristo é um fato histórico aceito por todos os homens, mas não são todos que acreditam na Sua ressurreição. Muitos comemoram o nascimento de Cristo nesse dia, mas somente os cristãos comemoram a sua ressurreição. Não devemos jamais nos esquecer de que como cristãos nós somos ordenados a comemorar a morte de Cristo, sua ressurreição e sua vinda. 1 Coríntios 11:25 e 26
O Natal passou a ser um dia de comercialização, de consumo. Muitos comemoram o Natal sem ao menos saber o real significado, outros mostram uma superficial religião, onde se lembram de Cristo somente nessa data, esquecendo-o durante o resto do ano.
Pra mim em particular vale a pena comemorar o Natal, porque trago na minha memoria um menino que nasceu e mudou a história do mundo e pessoalmente minha historia! Pra mim vale comemorar essa data, não uma vez no ano, mas em todos os dias. Devemos nos lembrar de Jesus todos os dias e não somente no natal. Lembrar-nos de seus feitos e de tamanha grandiosidade e amor por nós! De sua morte e ressurreição! Devemos reviver o milagre da vida do homem extraordinário, Jesus Cristo, dia a dia. E esse é o real sentido do Natal!
Do Jeito que o mundo está até o bom velhinho deve ter esquecido o verdadeiro sentido do natal... kkk, que nós sejamos a diferença em meio a tantos e não esqueçamos do verdadeiro sentido, não esqueçamos do nosso verdadeiro Jesus ressurreto!
Desejo a todos que o consumo de vocês seja da verdadeira PAZ e que dia a dia, tenham um Feliz natal.
Graça, Paz e muitas festas.
Pra. Adriana Costa reis

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Coragem, a habilidade de confrontar o medo.



"Ter coragem não é algo que requeira qualificações excepcionais, fórmulas mágicas ou combinações especiais de hora, lugar e circunstância. É uma oportunidade que, mais cedo ou mais tarde, é apresentada para cada um de nós."

John F. Kennedy

Coragem é a habilidade de confrontar o medo, a dor, o perigo, a incerteza ou a intimidação. Uma pessoa corajosa é uma pessoa que, mesmo com medo, faz o que tem a fazer. Pode ser dividida em física e moral. O homem sem temeridade motiva-se a ir mais além. Enfrenta os desafios com confiança e não se preocupa com o pior. O medo pode ser constante, mas o impulso o leva adiante. Coragem é a confiança que o homem tem em momentos de temor ou situações difíceis, é o que o faz viver lutando e enfrentando os problemas e as barreiras que colocam medo, é a força positiva para combater momentos tenebrosos da vida. (Wikipédia)

Talvez você não se considere uma pessoa corajosa e sim covarde, porque com frequência sente muito medo, e talvez inveje os corajosos, aqueles, que quem sabe nem o medo conhecem! Mas quem disse que o corajoso não tem medo? Claro que tem medo sim! E como sentem medo! Todos nós sentimos!

Segundo um escritor, humorista e romancista norte-americano, Mark Twain a “Coragem é resistência ao medo, domínio do medo, e não ausência do medo." Ser corajoso é ir à luta, é avançar, resistir e vencer o medo sempre seguindo em frente! “A coragem não consiste na ausência de medo e ansiedade, mas na capacidade de prosseguir mesmo quando temeroso.” Gary R. Collins, Ph.D. em psicologia clínica.

Não quer dizer que uma pessoa que não tenha medo de nada, seja corajosa. Eu diria temerária, imprudente! É mais uma imprudência do que coragem. Essa pessoa pode até ser audaciosa e intrépida, mas não é propriamente corajosa. A temeridade não é o mesmo que coragem. Pois uma das qualidades de temerário é a imprudência, a aventura ariscada. O temerário pode, inclusivamente, pôr em perigo sua vida e a de outros também sem necessidade. Melhor a coragem do que a temeridade, pois a primeira é calma e prudente e a segunda é afoita e arriscada. “A coragem é filha da prudência, não da temeridade.” Pedro Barca

Segundo um escritor francês, Étienne Pivert de Senancour, “A coragem real é mais paciente que audaciosa”, a pessoa corajosa só enfrenta o perigo quando é preciso. Não o procura, mas o enfrenta quando é necessário! Diante dos maiores perigos, o corajoso é capaz de ficar paciente e imperturbável, firme e com os sentimentos voltados para o que realmente vale a pena.

Ser corajoso não é a mesma coisa que não ter medo. É ter medo, mas, ainda assim, aguentar firme, é ser capaz de aguentar e suportar os perigos que estão próximos, que estão a chegar sem recuar ou desanimar. Se não fosse por sua coragem já sofreria o medo antecipadamente, como bem disse Michel de Montaigne, escritor e ensaísta francês, "O homem que teme o sofrimento já está sofrendo pelo que teme”.

Repetindo. Uma pessoa corajosa é alguém que sente medo, mas que vence o medo! Coragem não é nada mais nada menos que o medo vencido. O corajoso é aquele que enfrenta qualquer parada sem desistir jamais. Todo mundo sente medo, ter medo ajuda a nos proteger, só não devemos deixar que o medo nos domine. É com certeza o que sugeriu Martin Luther King, “Devemos construir diques de coragem para conter a correnteza do medo”.

A grande maioria das pessoas não se considera corajosas, porque morrem de medo diante das circunstancias problemáticas da vida. Mas já vimos que medo não é falta de coragem, isso se falando de coisas que realmente devemos temer. Porque segundo disse o escritor russo, Leon Tolstoi, “É corajoso quem teme o que se deve temer, e não teme o que não se deve temer” Temer o que não se deve temer é covardia e loucura!

O filosofo Aristóteles afirma que a coragem só se relaciona com alguns perigos e não com todos. Quem não receia a doença ou certos fenómenos da natureza, como os terramotos ou as inundações, por exemplo, não pode ser considerado corajoso, mas sim louco. O homem corajoso é o que “mantém o sangue frio nas circunstâncias em que a maior parte ou a totalidade dos homens tem medo” (Ética a Nicómaco, capitulo XX do livro I).

Covardia é o oposto de bravura e de coragem. É algo que te força a não tentar, a não lutar por simples medo, por indecisão, por fraqueza. É deixar de fazer algo, desistir, abandonar pela metade pela falta de confiança em si próprio. É atacar sabendo que o adversário não poderá defender-se. (Wikipédia)

A coragem é a justa medida acerca dos sentimentos de medo e de confiança. Ao covarde falta-lhe confiança. Bem dizia o escritor e jornalista Bierce que “O covarde é aquele que, na hora do perigo, raciocina com as pernas.” Como teme tudo que não deve temer, é uma pessoa pessimista e sem esperança. O corajoso, pelo contrário, é confiante e esperançoso.

Um bom exemplo típico de que a coragem é a justa medida acerca dos sentimentos de medo e de confiança, é Coragem – o cão covarde, personagem de um desenho animado. O desenho conta a história de um cachorro chamado Coragem e seus donos, Muriel, uma típica senhora escocesa, e Eustácio, um fazendeiro mal-humorado, que vivem juntos em uma fazenda localizada no meio da cidade deserta e fictícia de Lugar Nenhum. Eles moram em uma pequena casa, onde acontecem aparições de monstros, fantasmas e outras criaturas.

Coragem é um cachorro medroso, quando filhote, seus pais foram raptados e mandados para o espaço (episódio "Lembranças do Passado do Coragem"), mas Coragem conseguiu fugir, então Muriel o achou e o levou para casa. Apesar de seus medos, Coragem está sempre salvando seus donos dos perigos e mistérios que ocorrem na fazenda e, algumas vezes, fica seriamente machucado, mas por sua determinação ele sobrevive.

Ao assistir o desenho temos a impressão de Coragem ser um cão covarde, mas logo percebemos que ele é corajoso, pois enfrenta seus medos e confiante e esperançoso tenta solucionar os grandes mistérios, e pra isso frequentemente usa a internet pra buscar informações sobre os fenômenos sobrenaturais que ocorrem em "Lugar Nenhum". É o que disse Anna Eleanor Roosevelt, Embaixadora dos EUA entre 1945 e 1952, “Ganhamos força, coragem e confiança a cada experiência em que verdadeiramente paramos para enfrentar o medo”.

E cabe aqui citar outro personagem de desenho, O corajoso ratinho Despereaux, o desenho é uma adaptação da obra de Kate DiCamillo. O filme conta a historia de um camundongo absolutamente destemido quanto ao que não se deve temer! E o filme traz uma grande mensagem sobre a coragem em face ao medo e rejeição. Ele lida com os temas de dor e sofrimento, e como eles afetam os nossos corações e nossas ações.

Despereaux é quase imune ao sentimento de medo, mas mantem sangue frio nos momentos em que a maior parte dos personagens tem medo. Na verdade ele construiu diques de coragem para conter a correnteza do medo! Ganhou força e confiança quando enfrentou seus obstáculos e isso fez dele o admirável ratinho corajoso! Livre de todo medo! Alias uma frase do filme resume bem o motivo de tanta coragem: “Sempre que você tiver esperança, você nunca está realmente prisioneiro de ninguém”.

Esses dois personagens são exemplos muito bons de coragem, mas são apenas histórias, e fica difícil não citar pelo menos alguns nomes de pessoas reais de histórias reais, tais como: José do Egito, Moisés, Elias, Daniel, Davi, Paulo, Jesus e tantos outros. Bom seria escrever sobre todos, mas são muitos para um texto tão pequeno! Então por hora, veremos três deles, dos quais não citei acima.

Começando por José, o carpinteiro. Ele foi pai de Jesus por adoção, Mateus conta no capitulo primeiro, verso 16 a 25 que através de um sonho, Deus manifestou sua vontade a José. “José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. Ela dará à Luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados”.

O evangelista Mateus apresenta José temeroso diante da constatação da gravidez de Maria, e em um primeiro momento ele pensa em abandoná-la secretamente para não a expor, porque de outro modo ela seria afligida por ser mãe solteira. José logo fez o que o anjo lhe havia proposto, e a tomou por esposa e assumiu a sua paternidade no cuidado e proteção de Jesus, fugindo para um país estranho e desconhecido.

Quase que no anonimato, ele foi um exemplo de coragem, demonstrando para cada um de nós que sempre vale a pena viver sem medo e com fé, em qualquer circunstância!

Pode-se aprender muito sobre coragem com os homens citados na Bíblia. Mas e quanto às mulheres? Muitas delas foram corajosas, ousadas e intrépidas! A rainha Ester, por exemplo, através do seu ato de coragem e sabedoria, conseguiu, junto ao rei, que lhe desse dois dias para que seu povo pudesse se defender da sentença de morte. Por causa de sua coragem houve mudança no coração do rei e o povo judeu conseguiu vencer os seus inimigos!

Chuck Swildoll cita na introdução do livro Ester, uma mulher de sensibilidade e coragem, da série heróis da fé, de Charles R. Swildoll, o seguinte: “O poder da mulher que se defronta com uma situação ameaçadora da qual não pode escapar vem em seguida. Um misto de insegurança e perigo se esconde nas sombras, enquanto ela percebe achar-se virtualmente presa num labirinto de angustia circunstancial que não pode vencer. De maneira notável, ela não se desespera. Pelo contrario, sobrevive e se supera. É como se tivesse sido feita para uma conjuntura como esta”.

E continua Chuck, “Ester era esse tipo de mulher. Vitima inconsciente de uma situação insuportável, ela se ergueu e decidiu pela graça de Deus, a mudar as coisas. Abandonando o protocolo e ignorando todos os seus temores, esta mulher tomou uma atitude que a maioria de suas semelhantes jamais se arriscaria a tomar. Ao agir desse modo, ela expos e frustrou os planos de um homem perverso, que, como Adolf Hitler, tinha a mente saturada de violência. Essa mulher salvou sozinha, seu povo do extermínio. Chamo isso de poder!”

Eu chamo não só de poder como também de coragem! Na verdade, a pessoa corajosa é aquela que pratica atos de coragem porque é correto fazê-lo, aquilo que não é correto é pura covardia! E Ester assim como José, não foi covarde, pelo contrario, estava disposta a morrer juntamente com seu povo. Ela sabia da possibilidade de morrer em combate, assim como um cidadão que é chamado a lutar para defender a sua pátria. Mas mesmo diante das circunstancias e possibilidades terríveis de morte, ela não deixou que o medo a vencesse e lutou pelo que era correto.

Outra grande mulher na história bíblica foi Joquebede, mãe de Moisés, que junto a Anrão, seu esposo, e os filhos mais velhos, arriscou sua vida pela a do filho. Charles R. Swildoll cita no livro Moisés, um homem dedicado e generoso, que “Moisés tornou-se um grande homem de fé porque seus pais tinham fé. Eram levitas, evidentemente comprometidos com as coisas de Deus”.

Sabemos disso ao ler em Hebreus 11.23 “Pela fé Moisés, apenas nascido, foi ocultado por seus pais, durante três meses, porque viram que a criança era formosa; também não ficaram amedrontados pelo decreto do rei”. Não é se admirar os feitos corajosos de Moisés depois de saber sobre sua família.

A coragem deve estar fundamentada no poder do Senhor. A Bíblia diz em Deuteronômio 31:6 “Sede fortes e corajosos; não temais, nem vos atemorizeis diante deles; porque o Senhor vosso Deus é quem vai convosco. Não vos deixará, nem vos desamparará.”

Como disse anteriormente, talvez você não se considere uma pessoa corajosa e sim covarde, porque com frequência sente muito medo, mas quem sabe você seja como o Leão Covarde de um conto infantil, O Maravilhoso Mágico de Oz. Ele é o último dos companheiros que Dorothy Gale conhece no caminho para a Cidade das Esmeraldas. Além de Dorothy, o Leão Covarde se junta ao Homem de Lata e ao Espantalho, com o objetivo de pedir ao Mágico de Oz que lhe dê coragem. Apesar de aparentemente ser covarde, o Leão demonstra grande coragem durante a jornada.

E pra terminar, é como disse um escritor francês Gustave Flaubert, “Não tenho nenhuma coragem, mas procedo como se a tivesse, o que talvez venha dar ao mesmo”.

Tantos corajosos já existiram e ainda existem! Talvez eu talvez você...

Graça, Paz e muita coragem pra viver.

Pra. Adriana Reis.

“Não conheço fato mais encorajador que a inquestionável capacidade do homem para elevar sua vida através de um esforço consciente.”

Poeta - Henry David Thoreau


Leia também: Medos infantis

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Maturidade


"A maturidade me permite olhar com menos ilusões,
aceitar com menos sofrimento,
entender com mais tranqüilidade, com mais doçura.
Às vezes é preciso recolher-se.”
Lya Luft

O que é maturidade? Como poderíamos defini-la?

Já conversei com algumas pessoas sobre maturidade e já ouvi também muitas outras sobre o assunto e muitos me perguntam sobre as diferenças de alguém maduro e alguém imaturo. Bem... Convivo com muitas pessoas e estou sempre com os olhos nelas e isso me faz com frequência pensar sobre a maturidade delas. Aí fico pensando minha gente... Como podemos denominar pessoas maduras ou referir que alguém possua maturidade, sendo que todos os seres humanos não estão totalmente desenvolvidos. É algo complexo! Mas de alguma forma eu meço e faço uma diferenciação entre a maturidade e a imaturidade. A pedidos de alguns aí esta o post!

O dicionário Aurélio define maduro como: Amadurecido, sazonado. Plenamente desenvolvido. Refletido, prudente. Que já não é moço. E os Dicionários WEB e informal, definem por maturidade: Ter consciência do que quer saber, definir, analisar, agir no momento certo. É o estado das pessoas ou das coisas que atingiram completo desenvolvimento.

A palavra maturidade é um substantivo abstrato, determiná-la torna-se um pouco difícil. É um conceito subjetivo que percebemos e sentimos quando estamos diante dela, porém difícil de definir em palavras e de descrever todas as características que fazem parte dela, sem que haja restrições, diferenças de opiniões, debates e polêmicas.
O homem ainda é um mistério para ele próprio e então, como estabelecer o que seria a sua maturidade?

Bem... Penso eu que quando tentamos descrever alguma coisa, definimos e comunicamos algo, às vezes generalizamos, às vezes omitimos detalhes ou até distorcemos as informações de acordo com os nossos filtros mentais. Tentarei aqui descrever alguém maduro através de meus próprios filtros mentais. Então vamos lá!

A maturidade faz parte de um processo cheio de etapas e esse processo pode ser vagaroso e demorado. Mas acredito que passar por todas as etapas não quer dizer necessariamente que alguém seja maduro. Se você terminou a faculdade, casou e teve filhos ou viveu duzentos anos não quer dizer que é necessariamente maduro.

A maturidade não é um sinônimo de idade avançada, tem muitas pessoas adultas por aí que estão longe de ser maduras! Digo com propriedade, pois conheço um montão assim, como também conheço pessoas ainda jovens que são muito mais possuidoras de maturidade do que muitos “cinquentões” ou “duzentões” por aí!

Existe um tempo necessário para nosso amadurecimento. Porem, nem sempre a maturidade emocional ou espiritual acompanha a maturidade física. A maturidade física ocorre por volta dos 21 anos. Contudo, a maturidade mental, emocional e espiritual não tem um tempo determinado teoricamente para acontecer. O tempo de maturação vai depender das experiências pessoais de cada pessoa, vai depender do aprendizado obtido ou não de cada uma das experiências vividas. Muitas pessoas não amadurecem, elas apenas envelhecem!

O ser humano necessita de condições adequadas para seu pleno desenvolvimento e amadurecimento. Infelizmente, algumas pessoas não têm ou não querem ou não sabem como obter e desenvolver os recursos de que precisa, seja educação, conhecimento ou experiência para seu pleno desenvolvimento e amadurecimento como ser humano.

Uma pesquisa britânica (Universidade Southampton, em Highfield) afirmou que, para muitas pessoas, a fase adulta (maturidade) não é definida pela passagem por eventos tradicionais, mas por uma mudança na personalidade e no comportamento.

De alguma forma a pessoa madura abandona as “coisas de menino”, porque a maturidade requer que deixemos as coisas infantis. A Bíblia diz em 1 Coríntios 13:11 que “Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.”

É à saída de uma personalidade infantil e egoísta para uma mais altruísta, acredito como o Padre Fabio de melo que “a maturidade acontece, quando tomamos posse do que nós somos, para aí então poder nos dividir com os outros. Isso faz parte do processo de maturidade.”

Pessoas maduras são como os frutos maduros que são saborosos. Hummmm... Essas pessoas deixam boas sensações na gente! Aqueles que provam de sua companhia sentem o gosto adocicado e saboroso de suas ações e atitudes sábias e maduras. A cada encontro com pessoas maduras aprendemos um pouco mais, e esses encontros se tornam agradáveis e desejáveis. O encontro com uma pessoa madura é delicioso e nos acrescenta!

Essas pessoas já deixaram de se preocupar com o próprio umbiguinho, têm uma visão de vida que extrapola sua preocupação centrada em si mesma. Seus interesses envolvem o bem estar das pessoas com o intuito de contribuição para melhorar o mundo em que vivem.

Já uma pessoa que não tem maturidade, é como um fruto verde, de difícil degustação. Não me refiro aos de pouca idade, e talvez com pouca experiência de vida, pois estão na sua normalidade, passando por uma etapa do processo da vida. Lembrando que a palavra imatura vem do verbo madurar que significa algo que não madurou ainda. Alguém com menos idade tem muito que viver e percorrer ate atingir a maturidade, mas assim mesmo alguns adquirem mais cedo, há pessoas que amadurecem cedo e outras que levam mais tempo, eu costumo dizer que a pessoa imatura é uma pessoa a meio caminho, assim alguém muito jovem que ainda se encontra com atitudes imaturas, infantis é compreensivo, pois têm mais tempo e caminho a percorrer. Contudo os “duzentões” que me refiro simbolicamente como fruto verde é que são de difícil degustação. Esses possuem pouco tempo e ainda o perdem andando em direção contraria a maturidade.

São infantis, egocêntricos e mais preocupados consigo mesmos, focados em si próprios, pouco preocupados com as pessoas que os rodeiam. Suas atitudes e comportamentos egoístas muitas vezes causam decepção, mal estar e um gosto amargo nas pessoas.

O imaturo é desigual, variável, irregular, os seus sentimentos movem-se e balançam como um pêndulo, de maneira que ninguém nunca sabe o que esperar dele. O seu estado de ânimo é como uma montanha russa cheia de oscilações. Vive em constante mudança temperamental.

Os imaturos encontram pretexto para tudo. São os retardatários crônicos, os contadores de vantagens, que falham no momento das crises. A vida dessas pessoas é um emaranhado de promessas não cumpridas, assuntos inacabados e amizades desfeitas.

Mas continuando ainda falando sobre o fruto maduro, eu diria que maturidade é um montão de coisas, tais como a serenidade, é enxergar claramente a realidade natural das coisas. É ter uma visão aberta e realista das coisas que realmente importam na vida. É também generosidade, é ser voltado para os outros, buscando oportunidades de servir e ajudar. É enxergar como é pequeno o argueiro no olho do outro por ter removido a trava que estava no seu.

É discernimento. É aquela percepção intuitiva das coisas do espírito e da alma que nem sempre os olhos naturais enxergam. É enxergar cada aspecto da vida e do mundo pelos olhos de Deus que a ambos criou. É liberdade. É encarar com tranquilidade as próprias limitações.

É sabedoria. É dobrar-se voluntariamente, não diante das circunstâncias, mas diante do Deus que está no controle das circunstâncias. É intimidade com Deus. É estar de tal modo identificado com a Sua vontade que nada importa mais do que vê-la cumprida. E para acrescentar gosto desse texto de autor desconhecido por mim que diz:

Maturidade é ter o poder de controlar a raiva e de resolver divergências sem violência nem destruição.
Maturidade é ter paciência e disposição para abrir mão de um prazer imediato, com vistas a uma vantagem a longo prazo.
Maturidade é ter perseverança, é empenhar-se a fundo num programa, a despeito da oposição e dos contratempos desalentadores.
Maturidade é ter abnegação, é atender às necessidades alheias.
Maturidade é ter a capacidade de enfrentar o desagradável e a decepção sem nos tornarmos amargos.
Maturidade é ter humildade. Uma pessoa madura consegue dizer:
"Perdoe-me." E, quando fica provado que estava com a razão, não sente a necessidade de se vangloriar: "Eu não disse?”
Maturidade significa credibilidade, integridade e cumprimento da palavra.

Então... É assim que eu faço a distinção entre uma pessoa madura e uma ainda imatura, eu procuro particularmente perceber características das quais falei para determinar a diferença.

Eu sei que não está ao meu alcance e nem de ninguém atingir uma medida exata para maturidade, mas pra mim ela significa: o progresso em afastar-se o homem da sua animalidade, marcado pelo egoísmo, e em levá-lo a uma interação social em que a paz e a felicidade tornam-se possíveis.

Enfim... Maturidade...
Exercê-la exige uma atitude consciente, apoiada no sincero desejo de transformação. Hoje ser melhor que ontem e amanhã melhor que hoje; ser sempre melhor a cada dia, portanto, a busca da maturidade é interminável, mas o que importa é que dia a dia se possa dar um passo rumo a esse objetivo.

“Uma pessoa imatura pensa que todas as suas escolhas geram ganhos. Uma pessoa madura sabe que todas as escolhas tem perdas.”
Augusto Cury

“A pessoa madura é aquela que é capaz em primeiro lugar, reconhecer sua própria imaturidade“.
(Autor desconhecido por mim)

Pensem nisso...
Graça e Paz e crescimento a todos vocês!
Pra. Adriana Reis

sábado, 1 de janeiro de 2011

Um velho ditado: “A esperança é a última que morre”

Será mesmo? Pensando em um 2011 melhor...


ESPERANÇA – Por Mário Quintana

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, menininha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

Esperança - Do Dicionário Aurélio: Ato de esperar o que se deseja. A expectativa, a espera, a fé, a confiança em conseguir o que deseja. Aquilo que se espera ou deseja.

O termo esperança transmite a ideia de aguardar longamente e de confiar (esperar com confiança) que resulta em uma expectativa de fé, em uma espera paciente. É longa porque nem sempre temos a resposta no momento em que desejaríamos. É confiar, pois, nem sempre tudo parece dar certo.

Na melhor das hipóteses, os dicionários descrevem a esperança como a expectativa otimista da realização daquilo que se almeja. No entanto, não são todos que tem uma visão tão positiva em relação à esperança. O filosofo Alemão, Nietzche, por exemplo, costumava dizer que a esperança é o derradeiro mal, que é o pior dos males, porque prolonga o tormento e o sofrimento.

Dentro do contexto mitológico a Esperança é um dos males da Humanidade, simboliza a eterna espera por algo que não virá. (Segundo a Wikipédia: Ora, tinha Epimeteu em seu poder uma caixa que outrora lhe haviam dado os deuses, que continha todos os males. Avisou a mulher que não a abrisse. Pandora não resistiu à curiosidade. Abriu-a e os males escaparam. Por mais depressa que providenciasse fechá-la, somente conservou um único bem, a esperança.)

Mas nos tempos modernos ela é tida como nobre sentimento, e precisamos trata-la assim. Porque a esperança seria como aquela carta fora do baralho, que você usa como grande trunfo ou aquela luz no fim do túnel, dependendo de sua visão de mundo, seja vendo a vida como um jogo, seja vendo-a como um longo e escuro túnel, é imprescindível ter esperança. Caso contrário, caros leitores, o que seria da vida se não tivéssemos esperança? Seria um caos total! Chegaríamos ao fim da vida.

Neste poema acima de Mário Quintana, pode-se tirar uma lição. A esperança não é a última que morre, pois ela não morre. Mesmo que a ciência e as estatísticas afirmem o contrário. Lá esta a esperança caindo de um prédio e totalmente ilesa na calçada!

Ter esperança é fundamental para viver. Ela é fonte de força para continuar a caminhada, é fonte de força para lutar. Nas palavras de Santo Agostinho, filósofo e escritor da antiguidade, "Enquanto houver vontade de lutar, haverá esperança de vencer.”

Entretanto, a esperança não deve ser uma alienação da realidade, não deve ser um ato de inação, de inércia, de desculpa para os fracos cruzarem os braços e esperarem para que algo aconteça. Textos Judaicos dizem que “é bom ter esperança, mas é ruim depender dela”.

Não seria uma espera tão somente, ela por si só não basta. É preciso mais junto a ela. É preciso ter atitude para alcançar aquilo que se espera. Caso ao contrario ela seria como um “urubu pintado de verde” como descreveu Mario Quintana em outro verso. É preciso junto a ela doses de determinismo, paciência e solidariedade, para não corrermos o risco de sermos mais um que fica “sentado com a boca cheia de dentes esperando a morte chegar” como diz a letra de uma música de Raul Seixas.

A esperança é uma qualidade da qual não devemos abrir mão, pois ela é uma determinação heróica da alma. Ela é o desespero superado. É a arte de ser feliz sem ainda ter alcançado a felicidade. Como escreveu Joseph Joubert, um escritor francês “A esperança é um empréstimo que se pede à felicidade”.

Bem... Mas quem mais descreveu com maior maestria o que é a esperança e com a inspiração de Deus foi o profeta Jeremias. No final do versículo de Jr 17.7 surge a pérola da definição, quando ele diz que “… esperança é o Senhor”. A genuína esperança é o próprio Senhor. Neste texto de Jeremias (Jr 17.5-8) o Senhor trabalha o conceito de confiança. A confiança é a demonstração de onde está a esperança. Nos versículos seguintes, o texto explica porque o ser humano erra tanto quando não coloca sua esperança no Senhor. Um escritor e poeta francês, chamado Victor Hugo disse que “a esperança seria a maior das forças humanas, se não existisse o desespero”. Os versos 9 e 10 descrevem a condição desesperada do coração humano, desprovido de cura espiritual, que acaba por produzir engano e perversidade, minando a força humana.

Assim como a esperança e a fé podem realizar milagres, o desespero faz com que o homem cometa os maiores pecados. Pois quando alguém, em um momento de dificuldades, entra em desespero, torna-se extremamente vulnerável, tanto emocional quanto moral e espiritualmente.

As Escrituras separam duas situações relacionadas à esperança. Biblicamente, existem dois tipos de pessoas, as que não têm esperança no Senhor e as que têm (Ef 2.12). A verdadeira esperança está totalmente ligada ao que a pessoa Jesus Cristo representa na vida de cada homem e mulher.

Aqueles que não usufruem desta esperança são todos os que negam a existência de Deus, Seu poder, Sua ação na história e a Sua revelação através da Palavra (Sl 14.1; Rm 1.18-27). Além destes pontos, existe o fato destas pessoas não confiarem suas vidas a Jesus. As pessoas que são inimigas da esperança, como Nietzche, não concebem que possa existir alguém com a capacidade de senhorio que Jesus tem. Estas pessoas são incapazes de ver a vida em sua plenitude, por não crerem que Jesus é o filho de Deus (Jo 3. 16 e 36). Tais pessoas estão condenadas a uma vida de sofrimento e angústia. Santo Agostinho disse que “a boa consciência conduz à esperança. A má consciência, ao desespero”.

O segundo grupo de pessoas, os que têm esperança em Jesus, é formado por todos aqueles que acreditam com veemência no poder de salvação de Cristo. Não colocam sua fé somente no cuidado de Jesus para esta vida, mas principalmente para a eternidade. Os que têm a verdadeira esperança conservam o seu foco na vida eterna (Tt 1.2; 1Pe 1.4) e na consolação que ela traz (1Ts 4.13).

Devemos entender que a própria esperança é o Senhor. Somente através Dele é que podemos alcançar garantias para o futuro. Como diz o texto de Jeremias, “Bendito o homem que confia no Senhor e cuja esperança é o Senhor. Porque ele é como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e, no ano de sequidão, não se perturba, nem deixa de dar fruto”.

Alguém um dia me disse que a esperança está muito ligada a dúvida e incerteza, porque se algo é certo, então não precisa de esperança. Não concordei! E ainda não concordo! Porque mesmo que certo ou incerto, só esperamos quando confiamos! Então para mim a esperança está muito ligada à confiança, a fé. Se você acredita, tem esperança, se tem esperança então acredita. E tenho a confirmação disso na Palavra.

A-CRE-DI-TAR, CON-FI-AR. Lembrem-se que “a fé é a certeza de coisas que se esperam e a convicção fatos que se não veem.” Hebreus 11.1

Então certo ou incerto, quando você tem esperança, nenhum problema é grande demais, nenhuma tarefa é árdua demais, nenhum sonho é impossível e nunca é tarde demais para realizar o seu sonho de ser feliz. A esperança tem tudo a ver com a possibilidade de realização dos nossos sonhos. Quem espera com fé e confiante em Deus, jamais se tornará escravo do desespero.

Quando nada na vida corre bem, quando não se tem uma única perspectiva positiva, ou seja, nenhuma esperança, o que fazer? Infelizmente é o fim! O suicídio tem sido uma das respostas. O suicida é em vezes, alguém desesperado que ao longo da vida se confrontou com uma larga maioria de situações desagradáveis e apenas um ou outro eventual momento de satisfação. Mas é mais do que isso, é alguém que olhando para o futuro não vê qualquer perspectiva de melhoria e não vê qualquer necessidade de existência.

Eu acredito que a morte começa no momento em que não temos mais esperanças. Por isso leitores e amados irmãos, jamais percam a esperança! Acreditar sempre é fundamental. Há um ditado que diz: “Quem acredita sempre alcança”. A esperança é o combustível para que as realizações aconteçam. Mas as pessoas não têm esperança na vida mais, não têm esperança em Deus mais, não têm esperança na vitória e sucesso, estão sem perspectivas. Mas em contra partida Deus não perdeu as esperanças em nós. Um poeta, romancista, músico e dramaturgo, chamado Tagore, escreveu que "Cada criança, ao nascer, traz-nos a mensagem de que Deus ainda não perdeu a esperança nos homens”.

Nossa esperança é o nosso compromisso com a felicidade. Quando plantamos esperança em nossos corações, uma vida mais feliz é o produto de nossa colheita. E essa felicidade gera novas sementes, para produzir ainda mais esperança.

Bem... Respondendo a questão. A esperança é última a morrer?

Já ouvi dizer que a esperança é a ultima que dorme, porque morrer ela não morre nunca, apenas adormece, e na primeira oportunidade, olha ela lá, acordadinha! Já ouvi dizer que enquanto há vida, há esperança. Já ouvi dizer que a esperança é a maior fonte de energia do ser, quando ela morre, nos morremos com ela. Já ouvi dizer que a esperança é a última que morre. Pois enquanto eu viver a esperança vive comigo.

Gosto particularmente disso tudo! Talvez daí, destas respostas, derive o ditado de que a esperança é a última que morre, simplesmente porque morre conosco.

Mas a resposta é muito mais óbvia! A esperança é a última que morre?

Não... Não!!! Ela não morre!!!

Eu não acredito nesse ditado, pois a minha esperança já morreu... E ressuscitou e hoje vive e reina para sempre, que é Cristo Jesus.

Graça e Paz e Esperança sempre!

Pastora Adriana Reis.


“Os miseráveis não têm outro Remédio a não ser a esperança.”
William Shakespeare

"A esperança é o sonho do homem acordado."
Aristóteles